domingo, 10 de abril de 2011

Review - Mammoth (Beardfish)

Mammoth (Beardfish)
(2011, InsideOut)

A comemorar dez anos de existência desde a criação dos Wooderson, banda grunge precursora dos Beardfish criada por Sjöblom e Zackrisson, e com cinco álbuns aclamados pela crítica, o quarteto sueco está de regresso com um disco muito adequadamente intitulado de Mammoth. Adequadamente porque este é um álbum que em termos líricos remete-nos para a idade do gelo. Adequadamente porque em termos musicais é verdadeiramente grandioso. E finalmente, adequadamente, porque se trata de um género senão extinto, pelo menos a caminhar para lá. As referências são as melhores e quase sempre seventies: King Crimson, Gentle Giant, Camel. E no conjunto de sete temas há tempo para se explorarem desde os riffs tipicamente hard rock, em The Plattform, até momentos verdadeiramente épicos, como em And The Stone Said: If I Could Sleep, onde a presença do saxofone atinge proporções mágicas. Pelo meio, tempo ainda para um pop beatleano, em Tightrope, para uma demonstração da destreza técnica de Rikard Sjöblom no piano em Outside/Inside, para o rock de Green Waves ou para o jazz de Akakabotu. O final faz-se com a brilhante Without Saying Anything, que, na sua forma, se apresenta quase como uma mistura de duas canções, tal a diversidade evolutiva apresentada. Por tudo isto, este Mammoth é um trabalho de eleição que merece ser explorado e sentido em cada um dos seus pormenores. Verdadeiramente delicioso.

Tracklist:
1. The Platform
2. And The Stone Said: If I Could Speak
3. Tightrope
4. Green Waves
5. Outside / Inside
6. Akakabotu
7. Without Saying Anything feat. Ventriloquist

Lineup:
Rikard Sjöblom: vocais, guitarras, teclados, percussões
David Zackrisson: guitarras, sintetizadores
Robert Hansen: baixo
Magnus Östgren: bateria

Internet:

Edição: InsideOut

Sem comentários: