sábado, 20 de agosto de 2011

Review: Bilateral (Leprous)

Bilateral (Leprous)
(2011, InsideOut)

Para o terceiro álbum dos Leprous, a banda faz uma completa redefinição do que é ser progressivo. Após 10 anos de carreira, a banda norueguesa é única na forma como cruza rock progressivo com metal, com todos os condimentos exigidos por (ambos) fãs, sendo que o som da banda continua bem enraizado num tipo de metal de vanguarda. Bom, convenhamos que o termo progressivo tem vindo a diluir-se e atualmente, basta ter um guitarrista solo virtuoso para ser ser prog. Mas os Leprous não são nada disso. São uma verdadeira banda progressiva no sentido em que não são convencionais, quebram barreiras e estilos, inovam. Isto fica provado pelo ecletismo das suas presenças: foram escolhidos como backing band pelo vocalista dos Emperor, Ihsahn e têm incontáveis presenças ao vivo como suporte de Opeth, Pagan’s Mind e até Therion. A prova que as barreiras podem e devem ser quebradas. E este novo álbum, Bilateral, é cheio de surpresas. Os vocais limpos e calmos de Solberg são mais fortes e uma nova dinâmica foi acrescentada com o recurso a intensos guturais em determinados momentos. Musicalmente, Bilateral nunca fica muito tempo no mesmo lugar. O tema título é uma peça clássica de metal progressivo obscuro, enquanto Forced Entry, Restless ou Cryptogenic Desires trazem até nós atualizações de um hard rock sinfónico, com uma forte componente metálica nos dois últimos (em Restless até momentos à lá Muse surgem!). Pelo contrário, Waste Of Air é uma complexa faixa com reminiscências da agressividade de uns Protest The Hero. Pink Floyd e Porcupine Tree surgem espelhados em temas como Mb. Indifferentia, Acquired Taste ou Mediocrity Wins. Existe ainda um outro tema, perfeita demonstração da inexistência de limites nos Leprous: Thorn mistura agressivos vocais (cortesia do próprio Ihsahn) com um solo de trompete verdadeiramente genial. Para o final fica guardada a coroa da joia, Painful Detour, um longo tema de uma sensibilidade arrepiante. Para a história fica mais um trabalho com uma identidade muito própria de uma banda, também ela, com uma personalidade muito vincada. Uma banda que não teme entrar por caminhos desconhecidos. E se dúvidas existissem, esas ficam completamente desfeitas em Bilateral.

Tracklist:
1. Bilateral
2. Forced Entry
3. Restless
4. Thorn
5. Mb. Indifferentia
6. Waste Of Air
7. Mediocrity Wins
8. Cryptogenic Desires
9. Acquired Taste
10. Painful Detour

Line up:
Einar Solberg – sintetizadores/vocais
Tor Oddmund Suhrke - guitarras
Øystein Landsverk - guitarras
Rein Blomquist - baixo
Tobias Ørnes Andersen – bateria

Internet:
www.leprous.net/mobile (mobile website)

Edição: InsideOut

Sem comentários: