quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Review: Anubis Gate (Anubis Gate)

Anubis Gate (Anubis Gate)
(2011, Nightmare)

Após uma carreira feita na Locomotive, com a edição de 4 trabalhos entre 2004 e 2009, com os dois últimos a obterem nomeações para os Danish Metal Awards, os Anubis Gate chegam à Nightmare Records para a edição do seu mais recente trabalho, simplesmente intitulado Anubis Gate. Estilisticamente, os dinamarqueses cruzam o heavy metal clássico dos anos 80 com ambientes épicos dos anos 90 e com momentos progressivos e obscuros mais atuais. Belas paisagens, riffs agradáveis e vocais limpos e poderosos são algumas das características que o coletivo sempre apresentou e que se continuam a manifestar de forma acentuada neste último trabalho. Por isso, Anubis Gate acaba por se revelar o mais belo disco da carreira da banda. O seu ponto forte, a composição, aparece mais forte que nunca, as twinguitar estão muito presentes e os vocais são altamente emocionais, talvez pelo facto de, pela primeira vez, Henrik Fevre cantar as linhas melódicas que ele próprio cria. Aqui não se aborda o progressivo como uma demonstração de superior qualidade e masturbação técnica; antes se aposta na criação de canções no verdadeiro sentido da palavra. Desde a abertura tipicamente Anubis Gate com Hold Back Tomorrow, até à melancólica The Re-Formation Show, passando pela agressiva Desiderio Omnibus ou pela épica World In A Dome, ou mesmo pela surpresa que representa Oh My Precious Life e a atmosférica River, Anubis Gate coloca os seus criadores num patamar único de qualidade, adicionando à sua lista de bons trabalhos mais um título de referência.

Tracklist:
1. Hold Back Tomorrow
2. The Re-Formation Show
3. Facing Dawn
4. World In A Dome
5. Desiderio Omnibus
6. Oh My Precious Life
7. Golden days
8. Telltale Eyes
9. River
10. Circumstanced

Line up:
Kim Olesen – guitarras, teclados
Morten Sorensen – bateria
Jesper Jensen – guitarras, baixo, teclados
Henrik Fevre – baixo, vocais

Internet:

Sem comentários: