segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Review: The Great Migration (Joah Ann Lee)

The Great Migration (Joah Ann Lee)
(2011, Edição de Autor)

The Great Migration é o trabalho de estreia dos Joah Ann Lee e retrata uma viagem humana através do ciclo da vida, num conceito que gira em torno das relações violentas entre três personagens: Melissa, William e Harvey que partem numa viagem que definirá o futuro da humanidade. Feita a sinopse do que se desenvolve neste primeiro álbum da banda lisboeta, falta referir que todo o trama se desenvolve em 12 episódios, correspondendo a cada uma das faixas do disco. Destination N. York é uma abertura mais orientada para sonoridades ambientais, mas logo a seguir vêm Rooftops e Southern Decadence, duas faixas que caracterizam, na perfeição os sentimentos transmitidos por The Great Migration, sendo que na segunda, se abrem as portas a um blues negro que acabará por ter sequência em Harvey e, mais tarde, em Chasing The Dragon. O psicadelismo retro surge em The Frozen Border e as ambiências negras e obscuras aparecem em Skullflower; por outro lado, The Great Migration surpreende pela agressividade latente. Todas estas emoções surgem envolvidas por diferentes tipos de sonoridades que abraçam o rock, o indie, o garage e o ambiental num cenário de sentimentos extremos que a banda faz questão de enfatizar.

Tracklist:
1. Destination N. York
2. Rooftops
3. Southern Decadence
4. Harvey
5. The Frozen Border
6. Skullflower
7. 6 AM (Smokin` Gun)
8. Chasing The Dragon
9. Strangers
10. She Is (Woman)
11. The Great Migration
12- The Showdown




Line up:
Vasco Marques (guitarras)
João Silva (guitarras)
Júlio Pereira (bateria)
Renato Portela (baixo)

Internet:

Sem comentários: