quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Review: Age Of Reason (Strangeways)

Age Of Reason (Strangeways)
(2011, Dangerous Dog Records)

Considerados como um dos segredos mais bem guardados do hard rock britânico, os Strangeways estão de regresso com Age Of Reason, o seu oitavo álbum de originais ao qual se deve adicionar um Greatest Hits e outro álbum ao vivo. No ano passado reuniram-se com o cantor americano Terry Brock e agora com o regressado baixista David Stewart, Age Of Reason prometia ser um clássico do género. Prometia mas, infelizmente, não concretiza. Com influências muito diversas que vão desde os The Tubes a Journey ou Thin Lizzy, os Strangeways alargaram os seus limites mantendo-se, todavia, fiéis a si mesmos e às suas raízes do rock. No entanto, a banda não consegue surpreender, limitando-se a algo muito óbvio, sem rasgos de imaginação. Este trabalho, que conta com edição da própria editora da banda, acaba por ser um disco que, sem qualquer margem para dúvida, se ouve bem mas do qual, no final, pouco ou nada fica na memória do ouvinte. Mas há por aqui momentos positivos: o desempenho vocal é um deles. Em The Sentinel, faixa de abertura mid tempo e em Call (ainda assim um dos melhores momentos do disco) é onde mais se notam. Depois, as habituais baladas que sempre marcam presença neste tipo de discos surgem na forma de Playin’ It Over e Silver Moon, duas faixas melosas e que nada acrescentam. Mas o principal problema é mesmo a falta de atitude rockeira, o que faz que um tema verdadeiramente rock só surja à nona faixa, Frozen. Até lá fica-se mais com a sensação de estarmos a ouvir U2 ou Coldplay. O que não augura nada de bom…

Tracklist:
1. The Sentinel
2. Run
3. Playin' It Over
4. As We Fall
5. Call
6. End Of The Day
7. Alive Again
8. Silver Moon
9. Frozen
10. Long Road

Line up:
Terry Brock - vocais
Ian James Stewart - guitarras
David Stewart - baixo
Dave Moore -teclados
Jim Drummond - bateria

Internet:

1 comentário:

Armandinho disse...

Primeiro parabéns pelo Blog; segundo pela rezenha....infelizmente esse A.O.R é um disco que seria ótimo para o U2. Só que Strangeways ( e quem conhece os 3 primeiros discos sabe) é muito superior a esse último álbum...Acho que faltou produção ( a do disco Perfect World é amadora....) Mas o Strangeways tem um enorme potencial vamos ver se Ian Stewart se acorda....