domingo, 29 de janeiro de 2012

Review: Smooth Comforts False (Thee Orakle)

Smooth Comforts False (Thee Orakle)
(2012, Ethereal Sound Works)

Agora que os ThanatoSchizo se afastaram parece não haver dúvidas a quem deve ser entregue o cetro dos reis do metal transmontano. Exatamente: aos Thee Orakle. Se o primeiro álbum, Metaphortime, já havia deixado excelentes impressões, esta nova proposta, Smooth Comforts False, representa um passo em frente em qualidade e originalidade. Este é um belíssimo trabalho, de grande complexidade que exige diversas audições para se ir descobrindo. Por outro lado um trabalho cheio de diferentes estados de espírito criados pelas diferentes posturas de todos os instrumentistas. Estreando Pedro Mendes nas guitarras (ele até já tinha ajudado no disco anterior), os Thee Orakle ganham uma nova dimensão ao nível do trabalho deste instrumento. Quer ao nível dos riffs, quer das bases, quer dos solos, Smooth Comforts False é dotado de invejáveis pormenores de técnica assombrosa. Noutro campo, os vocais estão bem trabalhados com ambos os vocalistas a disporem do seu espaço sem atropelos. Curiosamente, por momentos esses espaços são coincidentes criando momentos muito bem conseguidos. Mas neste particular, merece relevo a prestação de Micaela Cardoso, sempre em grande nível mas com dois momentos verdadeiramente sublimes em Mysterious Hours (um dos melhores temas do disco, na nossa opinião) e em Winter Threat em dueto com Marco Benevento dos italianos The Foreshadowing. Para além da costela metálica os vila-realenses voltam, e muito bem sublinhe-se, a apostar na vertente experimental e até jazzística. E neste campo são brilhantes os momentos protagonizados por Ricardo Formoso e Fábio Almeida em desconcertantes solos de trompete e saxofone, respetivamente em Psi-Drama e Rescue Of Mind. E claro, também não deve ser esquecido o trabalho de bouzuki, cortesia de Yossi Sassi dos Orphaned Land que, mais uma vez, volta a colaborar com a banda. Num álbum todo ele de uma riqueza ímpar, de uma imprevisibilidade latente e de uma qualidade superior, falta apenas referir a presença do declamador nato do rock português, Adolfo Luxúria Canibal na faixa de abertura, Faraway Embrace. Uma prestação como só ele sabe fazer, num tema que, só por si, representa todo o brilhantismo de Smooth Comforts False.

Tracklist:
1.      Faraway Embrace
2.      Psi-Drama
3.      Mysterious Hours
4.      Foretoken
5.      Evil Dreams
6.      Winter Threat
7.      The Bridge Of The River Flowing
8.      Hopefulness
9.      Rescue Of Mind

Line up:
Daniel Almeida – baixo
Frederico Lopes – bateria e samples
J. Ricardo Pinheiro – guitarras
Luís Teixeira – teclados
Micaela Cardoso – vocais
Pedro Mendes – guitarras e vocais
Pedro Silva – vocais

Internet:

Sem comentários: