RIP - Malcolm Young (AC/DC) - We Salute You!

Review: The Power Of Mind (John Lawton & Diana Express)

The Power Of Mind (John Lawton & Diana Express)
(2012, Intelligent Music)
 
Os mais velhos certamente se lembrarão de John Lawton. O músico inglês foi vocalista da banda de culto germânica Lucifer’s Friend durante dois longos períodos (1969-1976, 1979-1995); durante os anos 70 esteve com os Les Humphries Singers, com os quais gravou mais de 20 álbuns e participou no Festival Eurovisão da Canção em 1976 e em 1976 juntou-se aos lendários Uriah Heep como vocalista e com eles gravou os míticos álbuns Innocent Victim, Firefly, Fallen Angel e Live ’79. Mais recentemente fundou a sua própria banda (GunHill, mais tarde renomeada como JLB – John Lawton Band), gravou a solo e aventurou-se no mundo da televisão com um programa na televisão búlgara. O trabalho agora apresentado em The Power Of Mind é, todavia, algo diferente do habitual. Trata-se de um conjunto de temas criados por Milen Vrabevski, membro dos CGI, vocalizados por Lawton com o acompanhamento dos Diana Express, coletivo rock búlgaro. A acompanhar está um conjunto de convidados, sendo de destacar a Pleven Philharmonic Orchestra. Embora sendo diferente do trabalho passado de John Lawton, The Power Of Mind é um disco a todos os níveis brilhante. Por vezes emotivo, melódico, sensual, com o piano de cauda (em muitas ocasiões recorda-nos o trabalho de piano da Trans-Siberian Orchestra) ou as cordas da orquestra a criar um cenário verdadeiramente divinal; por vezes a soltar as garras das guitarras para geniais peças de hard rock, envolventes, com solos deliciosos, ritmos electrizantes e com muita atitude. Pelo meio, guitarras acústicas vão surgindo a espaços e cruzam-se com secção de metais, sempre com os ritmos compassados e liderados pelo piano, em guitarradas hardrockeiras ou com a orquestra majestosa a marca a sua presença. A forma de composição enquadra-se no conceito de rock opera com uma matriz principal baseada numa belíssima linha melódica que, ciclicamente, é recuperada. Arriscaríamos dizer que excluindo o trabalho de outro búlgaro, Nikolo Kotzev no projeto Nostradamus, nunca a união entre o hard rock e os elementos sinfónicos resultou tão bem. A voz de Lawton é outro dos pontos fortes deste disco, sempre colocada, carismática e imponente. Aliás, o campo vocal neste disco é outro dos aspectos diferenciadores, com a utilização de impressionantes jogos vocais polifónicos (mais uma vez surge aqui a referência Trans-Siberian Orchestra). Ou seja, uma perfeita e rara união entre um conjunto de grandes músicas, de grandes instrumentistas e de um grande vocalista para criarem um trabalho de enorme classe, superiormente escrito, excelentemente produzido e magnificamente interpretado. Um daqueles momentos que surge uma vez na carreira de um músico ou de um coletivo. Um momento de beleza tal que dificilmente será igualado. Poderíamos perder algum tempo a falar de alguns temas de forma individual, mas a magia e genialidade deste disco é tão forte que preferimos que sejam os ouvintes a descobrir cada elemento desta inesquecível viagem pelo muito que há a descobrir a saborear em The Power Of Mind. Entrada direta para a galeria dos imortais!
 
Tracklist:
1.      Intro
2.      Mind Power
3.      Two Hearts
4.      Love’s Light Shining
5.      Max Rock
6.      Fairytale
7.      Rock N’ Roll Is My Thing
8.      The Search
9.      Springtime
10.  In Rhythm With You
11.  Now I Know
12.  New Rhythym
13.  Love In The World
14.  Finale
 
Line-up:
John Lawton – vocais
Maxim Goranov – guitarras
Nikolay Kardzhilov – baixo/contrabaixo
Valeri Konov – teclados
Tsvetan Banov – bateria
 
Convidados:
Pleven Philharmonic Orchestra
Rossi Diakovska – Steinway grand piano
Milen Vrabevski – Steinway grand piano, guitarra acústica
Gerasim – Steinway grand piano
Karolina Gocheva – vocais
M. Yosinov – trompete
V. Stoyanov – trombone
D. Lyolev – saxofone
 
Internet:
 
Edição: Intelligent Music

Comentários