terça-feira, 5 de novembro de 2013

Entrevista: Arven

Segundo trabalho para a banda germânica Arven, de novo com o selo da Massacre Records e, de novo, a ameaçar tornar-se um sucesso. As cinco senhoras juntamente com Till Felden realmente já são um caso sério dentro do seu segmento. Uma simpática Lena Yatsula assumiu a responsabilidade de responder a esta entrevista, coadjuvada numa questão pela guitarrista Ines Thome, esta diretamente de Los Angeles onde se encontra a aprofundar os seus conhecimentos de guitarra.

Olá, mais uma vez, obrigado pelo vosso tempo! Depois de Music Of Light vem Black Is The Colour. Podemos ver neste álbum uma orientação mais negra ou negativa da vossa música e das vossas letras?
Elena: Olá! Na verdade, Black Is The Colour é o nome de uma canção folclórica irlandesa muito bonita e triste. Já a tínhamos tocado e adoro-a! Estávamos a imaginar que título poderia expressar todos os nossos pensamentos e percebemos que Black Is The Colour é na verdade o título ideal para todo o álbum. É verdade que a música e as letras do nosso novo álbum são mais sombrias e sérias do que eram no nosso álbum de estreia. Mas não se trata apenas de escuridão e tristeza, porque com a escuridão pode vir um magnífico poder e beleza. Pode tornar-se não só romântica, mas também pode significar o afastamento das coisas más na vida de alguém e, em seguida, para a luz. As letras neste álbum são mais profundas do que no nosso último trabalho e em quase todas as músicas vais notar que as letras tomam um ar de melancolia e dão um raio de esperança.

E como foi trabalhar e preparar Black Is The Colour depois do sucesso de Music Of Light?
Elena: Após o lançamento bem-sucedido de Music Of Light fizemos muitos shows, onde pudemos testar as nossas novas músicas, porque concluímos a maioria das músicas de Black Is The Colour há mais de um ano atrás. Estamos sempre a escrever novas canções e foi uma grande experiência poder ver a reação às novas músicas durante os shows, antes de finalizado o nosso novo álbum. Nós tivemos muita diversão durante a gravação de Black Is The Colour. Em geral, este álbum levou menos tempo do que o nosso primeiro álbum Music Of Light, por isso, quem sabe, se no nosso próximo não poderemos demorar ainda menos. Para Black Is The Colour, fizemos uma sessão extra de fotos e estamos muito felizes com o novo vídeo. A nova capa levou algum tempo para acertar, mas, para nós, reflete perfeitamente o ambiente principal do álbum.

No entanto, as gravações deste álbum demorar um pouco mais. Alguma razão em especial?
Elena: É verdade, que levou dois anos para concluir e isso também significa um monte de trabalho. Naturalmente está incluído o tempo para escrever todas as músicas e letras, que precisam vir do coração. Estou realmente surpresa considerando o quanto de nós mesmos fomos esmagados por estas músicas, e o que fomos capazes de fazer em apenas dois anos. Estou certa de que poderia ter sido feito mais rápido, se não tivéssemos um emprego a tempo inteiro. Talvez um dia Arven seja tão bem sucedido que possamos concentrar-nos em fazer música profissionalmente, mas estamos muito felizes com o que alcançamos nestes dois anos.

Mais uma vez, têm alguns convidados nos violinos e violoncelo. Quem são eles?
Elena: O violoncelo foi tocado por Sabine Binder, uma estudante da Universidade de música em Frankfurt que é amiga de Ines, a nosso guitarrista. Ela já tinha gravado várias peças para nós no nosso primeiro álbum de que nós gostamos, por isso pedimos-lhe para trabalhar connosco novamente. Podes ouvir o violoncelo na faixa bónus, Black Is The Colour. A violinista é Anna Kaiser também estudante em Frankfurt. Ela também é uma excelente música e podes ouvir os seu belos sons de violino em Believe, Don´t Look Back e Cercle D' Emeraude.

E Stefan Schmidt dos Van Canto também participa num dueto numa canção. Como se proporcionou?
Elena: Trabalhar com Stefan é um grande divertimento. Conhecemo-nos há um par de anos atrás num espetáculo e ficamos em contacto desde então. Foi fantástico termos trabalhado com ele nos coros no nosso segundo álbum e estamos ansiosas para trabalhar com ele novamente. Também podes ouvir os seus vocais em dueto com Carina na canção The One For Me.

Believe foi o tema escolhido para primeiro vídeo. Porque escolheram essa música? E sobre o vídeo, com quem trabalharam desta vez?
Elena: Não foi fácil escolher a música certa, porque tivemos muitas ideias para um vídeo para pelo menos três canções do álbum, mas depois de longas discussões, concordamos que seria Believe. A canção é rápida e energética, com bonitos e poderosos riffs de guitarra e o violino dá essa profundidade extra e realmente ajuda a trazer as emoções no bridge. Adoramos esta canção desde a primeira vez que a ouvimos. Agora estamos muito felizes por termos escolhido Believe para vídeo. Foi a decisão certa para nós. Também ficamos muito contentes com a Ambition Films. Eles foram profissionais e rápidos, e também foi muito divertido trabalhar com eles.

E continuam a tocar em festivais medievais e folk bem como de metal e festas góticas?
Elena: É claro que queremos maximizar cada oportunidade de atuar em frente de tantas pessoas quanto possível. Adoramos tocar ao vivo para todo o público que é movido pela nossa música. Como sabes, Arven é muito original com a mistura dos ritmos e baterias rápidas de metal e ao mesmo tempo bonitas melodias celtas. Esta combinação funciona muito bem para nós, por isso vamos continuar a misturar os dois géneros no futuro.

Neste álbum têm duas faixas bónus que são duas canções folk irlandesas. Como surgiu esta ideia?
Elena: Tudo começou com a Carina a tentar o show da dança do fogo, que muitas vezes se pode ver em festivais medievais. Precisávamos de música de fundo para a sua dança e começamos a experimentar com a música folk irlandesa Black Is The Colour. Adoramos e o público também. Então, quando a Massacre Records nos pediu para fazer uma faixa bónus, todos nós pensamos imediatamente nesta canção. Depois fomos procurar outra canção e decidimos pegar em Ride On, que também é uma canção folk irlandesa.

Sei que Ines está nos Estados Unidos a ter aulas de guitarra. Como surgiu essa oportunidade?
Ines: A ideia de estudar em Los Angeles com o bem conhecido guitarrista clássico Bill Kanengiser veio à minha mente há muitos anos. Tive uma Masterclass com este professor e fiquei tão animada com o seu método de ensino que queria estudar com ele na USC. Este ano decidi dar esse grande passo na minha vida e, milagrosamente, uma bolsa de estudos deu-me a oportunidade de fazer este sonho se tornar realidade! Estou muito feliz em LA e até agora tem sido incrível. Aprecio cada minuto da solarenga Califórnia. Ainda assim, sinto muito a falta de Arven e estou ansiosa para tocar com as meninas e Till novamente no próximo ano! E estou muito feliz que o álbum esteja a vender bem e se encaminhe para ser um grande sucesso para nós.

Mas esse facto irá afetar os vossos espetáculos ou não?
Elena: Todos nós trabalhamos e divertimo-nos muito juntos. A Ines está perto de nós e estamos ansiosas por voltar a tocar com ela no próximo ano. Como banda somos capazes de continuar como estamos porque, felizmente, temos o apoio de Benjamin Reiter dos Awating Dawn que está a tocar guitarra connosco desde que Ines foi para os EUA. Ele é incrivelmente talentoso e tem sido um grande apoio uma vez que Anastasia e Benjamin compuseram quase todas as músicas em Black Is The Colour. Benjamin toca diversos instrumentos incrivelmente bem e já substituiu Lisa no baixo enquanto ela estava fora um ano há algum tempo atrás. E assim estamos todos felizes e gratos agora que Benjamin está a substituir a Ines enquanto ela está em LA.

A terminar, mais uma vez obrigado e dou-te a oportunidade de acrescentar algo mais…

Elena: É muito emocionante fazer parte de Arven. Muitas bandas têm músicas semelhantes umas às outras. No entanto, Arven tem quase um novo e único nicho com a nossa mistura de metal, orquestral e celtic. Parece tão estranho dizer essas coisas juntas, mas a música surge junta de uma forma tão inspiradora! Estamos muito felizes com o Black Is The Colour e estamos ansiosos para mais composições. Também gostaria de agradecer aos nossos fãs pelo seu apoio e lealdade e por nos permitirem compartilhar os nossos corações com todos.

Sem comentários: