sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Entrevista: King's Call

Alex Garoufalidis é um grego radicado na Alemanha. Os King’s Call são o seu projecto constituído por elementos de todo o mundo. Depois de Destiny, surge Lion’s Den, um trabalho mais focado no hard rock em detrimento do AOR da estreia. O lendário Chris Tsangarides voltou a estar no controlo dos botões e outro lendário Mike Freeland assumiu as vocalizações. Tudo junto, resultou num excelente trabalho. O próprio Alex, guitarrista, respondeu às questões de Via Nocturna.
 
Viva Alex! Obrigado pelo teu tempo gasto com Via Nocturna. Podes apresentar os King’s Call aos hardrockers portugueses?
Olá, nos somos os King’s Call. O meu nome é Alex, sou o líder da banda. Temos o Andreas Kramer no baixo e o Asec Bergemann na bateria. A banda está sediada na Alemanha, apesar de sermos originários de toda a Europa. Mike Freeland cantou no nosso novo álbum Lion’s Den. Grande personalidade... Grande voz.
 
Este é o sucessor de Destiny, a vossa estreia de 2011. O que têm feito entretanto?
Não tem havido falta de tempo. Durante esse período, escrevi canções, criamos um plano de logística entre outras coisas. Portanto, temos estado bastante ativos. E não te esqueças que a partir do momento que um registo está terminado até à data de lançamento o tempo passa...
 


Como analisas Lion’s Den em comparação com Destiny?
Comparar os dois álbuns não é fácil, já que eles são tão diferentes. Destiny é mais AOR enquanto Lion’s Den é Hard Rock com algum Blues. Rock de vanguarda. A banda pode fazer as duas coisas... É isso que apresentamos nos álbuns.
 
Neste álbum tens um line-up galático! Consideram-se um supergrupo?
Bem, obrigado. Sim, temos uma grande equipa de produtores, músicos. Tens de trabalhar com grandes profissionais, a fim de alcançar um bom resultado. Estou muito feliz com o resultado.
 
E também um line-up multinacional! Como foi a seleção dos músicos?
Não parti em busca de músicos de todo o mundo de propósito... Simplesmente aconteceu dessa forma e isso é bom!
 
Sendo de diversas partes do mundo, como foi o trabalho de estúdio? Juntos ou separados?
No estúdio todos juntos, que é como uma banda soa real e não juntar tudo. Além disso, com um produtor como o nosso esta é a forma certa de trabalhar. Muito autêntico.
 
Pois, como foi trabalhar com a lenda Chris Tsangarides, aliás repetindo a experiência do primeiro álbum?
Trabalhar com uma lenda como o Chris não tem preço. Ele simplesmente sabe o que faz... E passamos sempre um tempo fantástico a gravar e sair juntos!
 
As faixas bónus são duas músicas do vosso álbum anterior. Fizeram algumas alterações?
Sim, duas faixas bónus de Destiny. A masterização é diferente e as músicas são um lembrete de que nós tocamos Hard Rock e AOR.
 


E qual foi a razão para serem colocadas?
... Como mencionado, mostram de que é que são feitos os King’s Call.
     
Já têm algum vídeo para Lion’s Den?
De momento estamos a trabalhar em vários projectos e sim, também num vídeo.
 
Estiveram em tournée com os Harem Scarem. Como decorreram as coisas?
Foi ótimo. Tivemos um tempo muito bom rockando juntos. Os elementos dos Harem Scarem são todos músicos finos e muito divertidos para se sair. Os King’s Call foram muito bem recebidos pelo público e pela comunicação social. Fizemos muitos novos fãs, e assinamos um monte de autógrafos...
 
E projetos futuros em mente... o que se pode adiantar?
A banda já está a trabalhar em novo material e ansiosa por mais tournées em 2014!
     
A terminar, mais uma vez obrigado e dava-te a oportunidade de acrescentar mais alguma coisa que não tenha sido abordada nesta entrevista?
Muito obrigado pelo interesse! Para todos os nossos fãs e amigos... Façam o que fizerem sejam autênticos. Obtenham a vossa cópia de Lion’s Den... Levantem-se e rockem!

Sem comentários: