quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Entrevista: Unshine

Druid metal. Assim se autodenominam os finlandeses Unshine que acabam de se estrear para a germânica Massacre Records com Dark Half Rising, digno sucessor de dois trabalhos já editados em regime interno no seu país. Com uma denominação tão curiosa quisemos conhecer um pouco mais deste quinteto de Helsínquia. Para isso fomos falar com o guitarrista e teclista Harri Hautala.
 
Viva Harri! Obrigado pelo teu tempo com Via Nocturna! Podes apresentar os Unshine aos metalheads portugueses?
Viva queridos metalheads em Portugal! Unshine é uma banda de druid metal da Finlândia, o país do norte das florestas sombrias e vasto folclore. O nosso primeiro álbum, Earth Magick, saiu no ano de 2005, o segundo The Enigma Of Immortals viu a luz do dia em 2008 e nosso mais novo Dark Half Rising foi publicado pela Massacre Records há 2 meses atrás. Basicamente, Unshine é uma banda de metal melódico, mas temos um monte de gente e elementos de música tradicional dentro do nosso som. Tem sido muito bom perceber que o nosso novo álbum recebeu airplay também em Portugal. Queremos ter a oportunidade de tocar aí em breve!
 
Então, Dark Half Rising é o vosso novo álbum, mas é o primeiro por uma editora internacional. Como se sentem?
Parecia uma recompensa, quando fomos contratados. Apenas tínhamos 2 álbuns antes disso, por isso é surpreendente e, de facto, já vimos que a nossa visibilidade aumentou muito depois de termos assinado. É também muito bom para começar a visionar o nosso futuro.
 
Quando foi que a Massacre mostrou interesse no vosso novo álbum?
Já há um ano atrás e nós, naturalmente, tivemos que dar o pontapé final para finalizar o álbum, o que realmente levou algum tempo porque tivemos que começar a pensar no artwork, reservar o estúdio de masterização e por aí fora.
 
Já percebi que já sentiram o aumento de visibilidade de estarem numa editora como a Massacre…
Sim, como já mencionei, a visibilidade é muito diferente: fomos entrevistados por grandes revistas de metal impressas, fizemos enorme quantidade de entrevistas e ouvi dizer que o álbum foi anunciado na televisão alemã. Também tivemos uma entrevista na rádio na Finlândia, o que é uma grande conquista!
 
Dark Half Rising é um cruzamento entre o metal, folk e gótico. Em qual dos campos se sentem mais confortáveis?
Eu acho que em algum lugar na área selvagem entre os mencionados. Ou talvez em druid metal. Os estilos musicais não importam; o mais importante é a música em si, tem que criar uma vibe de uma antiga clareira na floresta com crianças da terra a dançar sob um luar prateado.


E, nas tuas próprias palavras, como descreverias vossa música?
Druid metal. Nós nunca usamos nenhuma banda de referência e nunca iremos fazer isso porque é muito mais importante tentar criar o teu próprio som. As nossas músicas louvam a Mãe Terra e são feitas de ar, fogo, terra e água.
 
Existe algum conceito desenvolvido em Dark Half Rising?
Exatamente! Este álbum tem uma temática muito celta. É um conto de ficção baseado em fatos reais. A história passa-se numa área selvagem de Ardennes, onde uma tribo gaulesa enfrenta as tropas de expansão do Império de Roma. A ação desenrola-se por volta dos últimos anos de expedição militar de Júlio César à Europa, há cerca de 2000 anos atrás. Pensamos que seria bom desenvolver um álbum inteiro em torno de um tema que envolve verdadeiros druidas históricos.
 
O vosso segundo álbum foi muito bem-sucedido. Uma música no top finlandês e até mesmo airplay no programa Friday Rock Show da BBC. Agora, as expetativas são ainda maiores suponho…
Sim, esperamos ganhar mais visibilidade com este álbum. Para já parece que tem havido bastante airplay em muitos países que nós nem imaginávamos. Tem sido muito encorajador notar que muitos jornalistas de rádio nos escreveram a dizer que já tocaram a nossa música nos seus programas.
 
Já existe algum vídeo para promover Dark Half Rising?
Estamos agora a discutir isso e estamos na fase em que temos que escolher entre duas determinadas músicas. Tenho a certeza que as filmagens de vídeo acontecerão muito em breve.
 
E sobre alguma tournée? Alguma coisa planeada?
Fizemos alguns espetáculos aqui na Finlândia recentemente e há um monte de planos para o inverno e primavera. Esperamos fazer uma tour europeia muito em breve!
 
A terminar, mais uma vez obrigado e dava-te a oportunidade de acrescentar algo mais que não tenha sido abordado nesta entrevista…
Muito obrigado! Obrigado por lerem esta entrevista, venham dizer “Olá” no nosso facebook. Cuidem-se e stay metal!

Sem comentários: