RIP - Malcolm Young (AC/DC) - We Salute You!

Review: Uma Casa de Bonecas (Igor)

Uma Casa de Bonecas (Igor)
(2013, Independente)
(4.5/6)

Uma Casa de Bonecas é o segundo álbum de Igor Freitas e sucedendo a Circo dos Horrores, refina-se a estratégia. Igor volta mais mordaz, mais teatral, mais provocante. Uma Casa de Bonecas é um disco conceptual com uma história que tem tanto de romantismo e paixão como de decadência e perversão. Musicalmente, Igor não impõe limites à sua composição e por isso, este um álbum que tanto tem de pop, como de rock, como de industrial/techno, como de darkwave, como de cabaret e até big band! Uma interessante diversidade estilística que acaba por encontrar paralelo na diversidade vocal de Igor Freitas, como se ele próprio vestisse a pele de diversas personagens nesta história contada em tons de cor-de-rosa com bolinha no canto superior direito. Portanto, este é um disco de difícil catalogação e de nada easy-listening, e até sem grande possibilidade de comparação no panorama nacional. Mão Morta, a espaços, Bizzarra Locomotiva noutros momentos, mas essencialmente, até pelo arrojo, decadência e humor negro, La Chanson Noire. Grande Abertura da Volúpia é a faixa introdutória e a primeira de um conjunto de cinco pequenos trechos curtos e narrados, entrando por campos do spoken-word, que servem para irem situando o ouvinte em termos de história. No entanto, verdadeiramente brilhante é a escolha de três temas bem conhecidos do nosso cancioneiro (O Corpo é Que Paga, de António Variações; Ele e Ela, de Madalena Iglésias; e Nini dos Meus Quinze Anos, de Paulo de Carvalho) para cobrir. Brilhante não só porque a temática de cada uma delas encaixa na perfeição no rumo que a história leva, mas também porque a roupagem criada por Igor se revela uma mais-valia que transmite a sensação de terem sido criados para este álbum. Mas há outros momentos de interesse: o formato de musical em Bailarina Sem Vestido, o blues decadente com guitarras fortes de Barbie Modelo-Cabaret (o melhor tema, na nossa opinião); a grande musicalidade de Olhos de Porcelana ou a pop à Delfins de Circo dos Amores. Todavia, fica a sensação que a integral perceção deste conceito e trabalho só será conseguida ao vivo. Ainda assim, regista-se a criação de uma obra diferente, com qualidade e desafiadora dos standards estabelecidos.

Tracklist:
01 Grande Abertura da Volúpia
02 Can-Can dos Horrores
03 O Despenar das Plumas
04 Bailarina Sem Vestido
05 Circo dos Amores
06 O Corpo é Que Paga
07 Barbie Modelo-Cabaret
08 Cubos de Letras Desarrumados
09 Olhos de Porcelana
10 Almofada em Forma de Coração
11 Nini dos Meus Quinze Anos
12 Quarto em Pantanas
13 Ele e Ela
14 Trágica Hora do Chá

Line-up:
Igor Freitas – vocais e teclados
Nuno Cardiga – guitarras
Ricardo Silva – baixo e acordeão
Siul Soarez – bateria

Internet:

Comentários