sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Entrevista: Kingdragon

Hard rock melódico com elementos de heavy metal clássico é o que os gregos Kingdragon nos propõem de uma forma muito agradável no seu trabalho de estreia Hide The Sun, uma edição da norte-americana Retrospect Records. Via Nocturna quis saber um pouco mais sobre este coletivo helénico e contactamos o vocalista e teclista George Aspiotis. Aqui fica o registo.

Viva! Antes de mais, obrigado pelo vosso tempo com Via Nocturna. Podem apresentar os Kingdragon para os rockers portugueses?
Saudações a todos os rockeiros de Via Nocturna. Somos os Kingdragon, uma banda grega de hard ‘n’ heavy formada em 2006. Somos quatro músicos que se reuniram para tocar clássico e atmosférico Hard Rock com muitas influências de heavy.

Podes contar-nos um pouco da vossa história até agora?
A banda foi formada pelo teclista George Aspiotis (Spitfire, Nightfall, RawSilk). Em novembro de 2006, fizemos de banda suporte dos Gotthard no Gagarin Club. Dois anos depois, em outubro de 2008, lançamos o EP/CD Fire In The Sky com uma produção auto- financiado (edição limitada a 500 cópias). Imediatamente a seguir vieram os shows esgotados com os Firehouse com grande sucesso. Entre 2009 e 2012 a banda esteve em estúdio para as pré-gravações das canções que compõem Hide The Sun. Em novembro de 2009, suportamos os House Of Lords! Em junho de 2013, a banda assinou com a Retrospect Records - EUA para o lançamento mundial e distribuição do álbum de estreia Hide The Sun. Em julho do mesmo ano, foram lançados dois videoclips diferentes e o primeiro single Shout! Very Loud.

Quais são as vossas principais influências?
Há um conjunto de artistas que têm influenciado os Kingdragon à medida que o tempo tem passado. Não necessariamente apenas da cena Rock/Heavy. Porém, independentemente da referida cena mencionaremos Pretty Maids, Pink Floyd, Accept, House Of Lords, Winger, Whitesnake, Led Zeppelin, Gotthard... e muitos mais...

O vosso autofinanciado EP de 2008 EP Fire In The Sky recebeu boas críticas em todo o mundo. De que forma isso vos ajudou a assinar com o Retrospect Records?
Acho que foi o primeiro passo para levar a música dos Kingdragon para fora das fronteiras da Grécia. No caso da Retrospect Records, foi a primeira mistura do material de Hide The Sun que estabeleceu a ignição para a nossa colaboração.

No álbum Hide The Sun recuperam a faixa Man Of Yesterday. Mudaram alguma coisa na música?
Pois é, o Man Of Yesterday é uma das nossas músicas favoritas e quando decidimos incluí-la no nosso álbum de estreia quisemos mudar a intro (orquestral). Essa foi a razão porque chamamos o nosso amigo Maestro Kostas Kyriakidis (Spitfire, Rawsilk, Nostalgia For A Believe) para fazer uma orquestração especial. Além disso, algumas partes vocais estão um pouco diferentes agora e o final também mudou com os leads do nosso guitarrista, Anastasis F.

Como definirias Hide The Sun?
Para nós, Hide The Sun significa que o homem deve agir e determinar o seu próprio futuro, independentemente de todas as decisões tomadas por ele, sem o seu consentimento. É uma música que incentiva as pessoas a unir as suas forças contra qualquer estrutura de estado/poder que rege as sociedades de hoje...

Como foi o processo de gravação?
Foi ótimo! Tivemos muitos bons momentos durante as gravações. Acho que é refletido no resultado final.

Shout Very Loud foi a faixa escolhida para o vídeoclip. Porque essa escolha?
Sentimos, desde o início das sessões de gravação que havia alguma coisa com essa música. Esse "algo" parecia reconhecível tanto para os fãs de hard rock como os de heavy. Portanto, quisemos ver as reações de ambos.

Sei que tiveram alguns problemas de saúde na banda que afetaram alguns dos vossos espetáculos. Está tudo bem agora?
Inevitavelmente há um momento em que os problemas de saúde deixam todos os assuntos profissionais e artísticos por trás. Isso também acontece com os grandes nomes. Neste momento está tudo OK, obrigado pelo teu interesse!

Alguns de vocês têm outros projetos. Queres falar um pouco sobre isso?
Sim, já há algum tempo que toco teclas nos Spitfire, uma lendária banda grega formada em 1986.

A respeito de planos futuros, como tours, o que está agendado que possa ser divulgado?
Neste momento o management da banda está em contato com promotores bem como outros managers para a realização de alguns shows e provavelmente algum primeira tournée europeia, de mãos dadas com uma banda bem conhecida. Também é muito provável que dentro de um-dois meses o segundo videoclip de Hide The Sun esteja disponível.

A terminar, mais uma vez obrigado e concedia-te a oportunidade de acrescentar mais alguma coisa que não tenha sido abordada nesta entrevista...
A banda gostaria de agradecer a tua hospitalidade e teu esforço muito bom para manter o rock vivo! Outro enorme Obrigado mais uma vez para todos os reviewers pelas críticas a Hide The Sun recebidas até agora. Uma enorme saudação para todos os fãs de rock. Mantenham a chama acesa. Gostaríamos muito de ir tocar a Portugal!

Sem comentários: