sábado, 15 de fevereiro de 2014

Review: O Monstro Acordou (Punk Sinatra)

O Monstro Acordou (Punk Sinatra)
(2013, Ethereal Sound Works)
(5.7/6)

João Pedro Almendra é um nome incontornável do punk rock nacional sendo que, seguramente, todos se lembrarão dele nos míticos Peste & Sida. Ficamos satisfeitos por acompanhar o seu regresso juntamente com os Punk Sinatra que a terminar 2013 assinam um dos melhores álbuns do ano, O Monstro Acordou. E o que temos aqui? Punk rock? Claro! De grande qualidade e cheio de diversidade: do hardcore ao ao heavy metal; do ska ao reggae e ao funk; do hard rock à… música popular! Corrosivo, com temáticas atuais e polémicas, sempre com aquele olhar atento sobe a realidade nacional e também com muito humor! O Monstro Acordou conta com alguns convidados de peso que ajudam a elevar o álbum a outros patamares de qualidade. Claro que o principal está lá: grandes malhas, grandes refrães, grandes riffs e grandes solos! Zé Pedro dos Xutos & Pontapés colabora com a sua guitarra em Skapa do Sistema; António Corte-Real (UHF) colabora em Skapa do Sistema, Nunca Há Paciência, Se… e O Lado Errante da Cidade; João Ribas (Tara Perdida) em Nunca Há Paciência; João Morais (Gazua) em Hoje Não e Corridinho (à Portuguesa); Nuno Oliveira (UHF) toca bandolim no Corridinho…. Para o fim deixamos os Homens da Luta, inigualável dupla nacional que impregna o Corridinho com o seu humor revolucionário de esquerda. Em termos de canções, depois de uma abertura forte e rápida em tons hardcore, surge a primeira grande surpresa e o primeiro momento de superior qualidade: Skapa do Sistema, tema com forte dose de ska. Entre Caminhar Para o Zero e Hoje Não, o músculo surge com riffs a aproximarem-se do hard rock. Depois vem o ponto mais alto do disco: o já referido Corridinho (à Portuguesa), momento que recupera muito do espirito Peste & Sida num tema memorável - da delirante participação de Falâncio e Jel ao bandolim do Nuno Oliveira passando pela temática da letra. Ainda antes do fecho vem Se… outro dos nossos preferidos pelas mudanças rítmicas e pelo funk. A terminar, o segundo dos momentos que já são clássicos: O Lado Errante da Cidade a variar entre uma secção inicial heavy metal e uma final cheia de funk e reggae, com um extraordinário trabalho de guitarra de Corte-Real. É assim: se procuram um disco de punk rock de enorme qualidade, do que melhor já se fez em Portugal, então O Monstro Acordou é a solução.

Tracklist:
1.      Espirito de Subúrbio
2.      Skapa do Sistema
3.      Caminhar Para o Zero
4.      Nunca Há Paciência
5.      Andas Aí
6.      Hoje Não
7.      Corridinho (à Portuguesa)
8.      Se…
9.      Perigo Público
10.  O Lado Errante da Cidade

Line-up:
João Pedro Almendra – vocais
João Pinto – baixo
Luís Lobão – bateria e vocais
David Nolasco – guitarras
Hugo Guilherme Santos – guitarras, vocais e percussão

Internet:

Sem comentários: