quarta-feira, 26 de março de 2014

Entrevista: A Tree Of Signs

Depois da edição do EP Salt, em 2012,com excelentes reações da crítica e do público, os A Tree Of Signs sofreram um enorme revés com a saída da vocalista V-Kaos. A procura de um novo elemento terminou com o recrutamento de Diana Silveira que se apresenta no novo EP Saturn. O baterista Tosher relembra o doloroso momento da separação com V-Kaos e fala deste novo trabalho e do futuro dos A Tree Of Signs, agora já transformados num quarteto com adição do teclista J.G..

Antes de mais obrigado pela vossa disponibilidade. Estão de regresso depois de Salt de 2012 e a mais notória alteração é a mudança de vocalista. Como lidaram com a situação da saída de V-Kaos?
A saída da V-Kaos foi um processo que tivemos que ultrapassar, não foi fácil pois existia uma forte ligação musical, ligação essa que resultou no Ep Salt, mas o melhor será não falar sobre esse assunto, foi delicado para a banda e esteve mesmo para acabar.

Outro aspeto pertinente é a diferença de sonoridade apresentada por este conjunto de membros bem conhecidos. Porque sentiram a necessidade de criar algo diferente do que fazem habitualmente?
Todos temos gostos pessoais que transcendem os genéros onde as outras bandas onde tocamos se movem. Neste caso bebemos do som e do espírito do que se fazia nos anos 70 porque é uma grande influência e inspiração para todos nós.

Em termos líricos, Salt era fortemente inspirado pela alquimia. Sucede o mesmo agora?
Sim, continuamos a inspirar-nos em manuscritos alquimicos, é a base da nossa música.

E em termos musicais, existem algumas diferenças entre Saturn e Salt? Trabalharam da mesma forma desta vez?
Em termos de qualidade, o novo single foi mais bem captado, com melhores condições em termos de material de estúdio, e contribuiu, claro, o conhecimento do Fernando Matias, pessoa pela qual temos um enorme carinho e respeito mas que, acima de tudo, é uma pessoa que conhece o som da banda e é nosso amigo, por isso o escolhemos. Quanto aos temas, foram compostos da mesma forma, o N.H. traz uma ideia e juntamo-nos para fazer a base, e só depois adicionamos os restantes elementos, teclas e vozes.

A nova vocalista, a Diana, teve oportunidade de participar na composição destes novos temas?
Sim, já participou na composição das linhas vocais de Red Lune II. A ideia foi gravar um tema antigo Saturn e um novo, também como forma de apresentar a Diana e integrá-la na banda. 

Uma versão de Salt em CD será editada este ano. Será exatamente igual à vossa primeira edição de 2012 ou conterá alguns extras?
Sim, vai sair em abril nos Estados Unidos o EP Salt em formato CD, a editora é Wraith Productions, e serão somente os temas que foram editados no EP, pois não achámos que tinha lógica estar a misturar as diferentes fases.

O vosso projeto acaba por ser algo misterioso e enigmático. O que é, efetivamente, A Tree Of Signs?
Acima de tudo A Tree Of Signs é Vida, é uma banda não um projeto, é uma comunhão entre 4 pessoas, pois recentemente adicionámos o J.G. aos teclados. Esse lado misterioso de que falas, talvez tenha mesmo a ver connosco e com as nossas personalidades, que acabam por se reflectir na música.

Referiram numa entrevista algum tempo depois da edição de Salt que já estavam a preparar o lançamento do álbum. Afinal surgiu outro EP. A saída de V-Kaos foi determinante neste recuo de intenções?
Sim, tivémos que repensar muita coisa, tinhamos um video para gravar que acabou por não ser feito, estivemos mesmo parados um tempo... Só agora é que vamos começar a pré-produção do primeiro álbum, já temos alguns temas novos e estamos a começar a gravá-los.

E a falta de um guitarrista? Aparentemente não é um problema para vocês…
O formato que escolhemos será para manter, baixo, bateria, teclas e voz. Sentimo-nos bem assim, não temos essa necessidade. Poderão haver alguns convidados no álbum a tocar alguns instrumentos, mas guitarras não serão.

Obrigado. Querem acrescentar mais alguma coisa que não tenha sido abordado nesta entrevista ou deixar alguma mensagem para os vossos fãs?
Obrigado Via Nocturna pela entrevista, e obrigado a todos por nos acompanharem, para quem ainda não nos conhece podem sempre visitar o nosso bandcamp ou o facebook, onde actualizamos toda a informação da banda, incluíndo os concertos. 

Sem comentários: