sábado, 5 de abril de 2014

Review: 2012 Space Traffic Jam (Marcelo Paganini)

2012 Space Traffic Jam (Marcelo Paganini)
(2014, Independente)
(5.1/6)

Brasileiro de Belo Horizonte a residir em França, Marcelo Paganini é um virtuoso da guitarra. Em 1979 escreveu Lost Secrets e desde essa data que os fãs esperam por um álbum seu. Nunca aconteceu… até agora! O músico cresceu, evoluiu, tocou com gente famosa do mundo do jazz e da fusão mas nunca gravou um álbum em seu nome. Por isso os fãs rejubilaram com a edição de 2012 Space Traffic Jam. Acompanhado por Gary Husand e Marc Madore bem como de alguns convidados como Tony Kaye, Billy Sherwood e o grande Eumir Deodato (16 álbuns de platina, 25 milhões de discos vendidos só nos Estados Unidos, com trabalhos desde Frank Sinatra a Bjork!), Paganini não faz a coisa por menos e 2012 Space Traffic Jam é um disco, no mínimo, surreal. É uma complexa e quase indescritível cacofónica e esquizofrénica mistura de jazz, fusão, prog rock e metal. São 10 temas onde são postos em causa todos conceitos pré-adquiridos de como uma canção deve soar, pelo arrojo dos arranjos e pela abordagem pouco ortodoxa. Todos os músicos aqui presentes (os residentes e os convidados) são exímios nos seus instrumentos. São uns verdadeiros virtuosos! No entanto, a parte vocal é um pouco mais descurada. Quase que nos apetece dizer este devia ser um álbum apenas instrumental. Em termos de temas, o momento mais genial do disco surgem em Somewhere Somehow onde o prog/fusão resplandece em toda a sua essência, com um solo de bateria a abrir e solo de Hammond (cortesia de Tony Kaye) logo a seguir capaz de deixar qualquer fã do género absolutamente siderado! Logo a seguir, Lost Secrets  é outro dos maiores momentos. Bastante musicalidade (aspeto às vezes preterido em relação aos solos desenfreados) e até algum sabor brasileiro. A fação mais metalizada do álbum surge na caótica Actor e em Can´t Autograph Your MP3. Este último é também um dos temas onde Eumir Deodato brilha a grande intensidade como já tinha acontecido na hilariante Last BART To San Bruno e em B4Ever Now, dos momentos mais calmos. Por falar em momentos calmos, o final é feito com o tema-título, algo próximo de uma balada que acaba, naturalmente, por ser desconstruída transformando-se num dos momentos mais interessantes do espectro jazz/fusão. Uma palavra final para For Real, verdadeiramente caótica e apocalíptica, com o experimentalismo e a fusão a serem levados ao extremo. Os amantes deste género não deverão deixar passar a oportunidade de adquirir este disco. Os momentos de expansão técnica são sensacionais, existindo muito aquele feeling de jam session e de improvisação. Isto associado a alguma musicalidade (não sendo, como já vimos, este o ponto principal de 2012 Space Traffic Jam) fazem deste disco uma obra indispensável.

Tracklist:
1.      Sphinxes Of Babel
2.      Crying With A Smile
3.      Actor
4.      Somewhere Somehow
5.      Lost Secrets
6.      Last BART To San Bruno
7.      B4Ever Now
8.      For Real
9.      Can’t Autograph Your MP3
10.  2012 Space Traffic Jam

Line-up:
Marcelo Paganini – guitarras, teclados, vocais
Gary Husband – bateria
Marc Madore – baixo
Eumir Deodato – teclados (#6, #7, #9)
Tony Kaye – hammond (#4)
Billy Sherwood – baixo (#4)

Internet:

Sem comentários: