domingo, 4 de maio de 2014

Review: At La Brava - Volume Two Of Red Desert Saga (Souq)

At La Brava - Volume Two Of Red Desert Saga (Souq)
(2014, SASG Records)
(5.3/6)

Temos ficado agradavelmente surpreendidos com a quantidade associada à qualidade que os novos projetos nacionais têm trazido. Depois dos The Underdogs, Aveiro mostra outro nome de respeito: Souq. At La Brava – Volume Two Of Red Desert Saga é a estreia deste projeto (apesar de o título sugerir outra coisa!) inovador, superinteressante e capaz de surpreender a cada momento. Não é fácil descrever o que os Souq fazem, mas para tentar simplificar diríamos que cruzam o rock, o jazz, o progressivo, o alternativo, o funk e as big bands. Se juntarem tudo isso a uma inata capacidade para o experimentalismo e para a manipulação de sons, criando quase a banda sonora de um filme, ficam próximo da inolvidável experiência que é ouvir Souq. O ponto fulcral é a existência de uma forte secção de metais (saxofones e trombone) que espalham magia ao longo de At La Brava. A primeira metade é mais empolgante porque tem mais ritmo é mais enérgica e mais jazzística. A segunda metade é mais funky e progressiva, com momentos mais calmos, passagens cinematográficas, embora igualmente superiormente trabalhada. Logo a abrir, fortes metais marcam definitivamente esta rodela. Desert Snake Catcher é um tema forte, com muito rock e até com vocais agressivos. Surpreende, mas o melhor ainda está para vir! O funk/jazz de Maniqueen lembra o trabalho de Pedro Abrunhosa nos seus tempos dos Bandemónio; At La Brava assume-se fundamentalmente jazzística com uma secção final em tons de jam indescritível e Card Player é um dos nossos temas preferidos pela mistura de rock sulista, jazz, funk e big bands. Do lado mais progressivo com tendência para o rock progressivo dos anos 70, destaque para Point Blank, Feathers, Roy & Lee (algo mais esquizofrénica) e o fecho Blood On Dry Year. At La Brava e os Souq desafiam todas as fronteiras estilísticas pré-estabelecidas. Essa premissa marca definitivamente um coletivo que urge acompanhar e um disco arrojado e sofisticado de enorme potencial criativo. Verdadeiramente assinalável!


Tracklist:
1.      Desert Snake Catcher
2.      Maniqueen
3.      At La Brava
4.      This Thing Of Ours
5.      Card Player
6.      Point Blank
7.      Feathers
8.      Roy & Lee
9.      Blood On Dry Year

Line-up:
Bruno Barreto – baixo
Bruno Tavares – vocais
Jorge Loura – guitarras
Jorge Oliveira – bacteria
Paulo Gravato – saxofones
Rui Bandeira - trombone

Internet:

Edição: SASG Records

Sem comentários: