segunda-feira, 16 de junho de 2014

Review: The Blackened Heart (Hard Riot)

The Blackened Heart (Hard Riot)
(2014, Pitch Black Records)
(5.6/6)

Depois de Living On A Fast Lane de 2012 eis o regresso dos Hard Riot com um novo, o seu segundo, trabalho. E os germânicos surgem algo transfigurados: mais pesados, mais fortes, mais densos, mais obscuros. Sempre podermos afirmar que o seu coração enegreceu e endureceu. O seu campo de ação continua a ser o hard rock, embora muitas vezes esteja no limiar do heavy metal. Nada de anormal se nos lembramos de que em Living In A Fast Lane aqui e acolá já se notavam alguns resquícios de um thrash metal da escola Metallica. Agora apenas se evidencia um pouco mais essa componente. Então os dois primeiros temas são sintomáticos desse aumento de peso. Depois, ao terceiro, Devils BBQ as coisas acalmam um pouco mas estão longe de regressa à normalidade (se assim poderemos falar!): o tema é menos denso e mais fragmentado com inimagináveis incursões pelo country (banjo e violino) e southern (solo). A partir de The End surge o melhor conjunto de temas, mais hardrockeiros, com groove e muito catchy. Isso dura até Last Goodbye, uma surpreende balada com… violino! Nos dois temas seguintes volta aumentar a dose de peso, em temas muito fortes em termos rítmicos, destacando-se o sensacional breakdown harmónico de Hit The Ground. O álbum tem ainda uma faixa bónus que mais não é que uma versão alternativa de The End com a colaboração vocal extremamente agressiva de Richard Sjunnesson (dos Unguided). Uma faixa que não acrescenta nada de significativo, antes pelo contrário, a agressividade vocal patente torna-se perfeitamente desadequada. The Blackened Heart marca, de facto, uma evolução na carreira dos germânicos embora não ocorra um corte radical com o passado. É como se os Hard Riot conseguissem manter o seu DNA não os impedindo de explorar novas sonoridades. E isso é bom. E por isso, The Blackened Heart é um disco muito bom.

Tracklist:
1.      Blackout
2.      Suicide Blues
3.      Devils BBQ
4.      The End
5.      Count On Me
6.      Not Alone
7.      The Enemy Within
8.      Dirty Games
9.      Last Goodbye
10.  High Society Bitch
11.  Hit The Ground
12.  The End (bonus track)

Line-up:
Michael Gildner – vocais e guitarras
Carmine Jaucci – bateria
Andreas Rockrohr – guitarras
Heiko Härle – baixo

Internet:

Edição: Pitch Black Records 

Sem comentários: