segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Entrevista: My Kind O' Lovin'

Milen Vrabevski está de regresso com o seu Intelligent Music Project. Desta feita, para além de John Lawton foram ainda convidados outros pesos-pesados: Joseph Williams e Simon Phillips. Isto, claro, para não falar de um conjunto de músicos búlgaros de excelência. Desta vez fomos interromper as férias em família do vocalista John Lawton para nos falar desta nova proposta.

Olá John! Tudo bem desde a última vez que falamos? O que tens feito desde então?
Olá, sim tudo bem, acho eu! Tenho feito muito trabalho de promoção para My Kind O’ Lovin’, regressei à Bulgária para espetáculos e filmagens dos meus documentários de viagens... Neste momento estou a gozar umas férias em família.

Com The Power Of Mind, tiveram muitas oportunidades de tocar ao vivo. Como foram as reações?
Bem, as reações a The Power Of Mind foram boas e aconteceu o que esperava que acontecesse que é abrir novas portas para este tipo de música. Tocamos o álbum ao vivo e sim, a resposta das pessoas foi muito boa. Não tivemos oportunidade para levar este espetáculo para fora da Bulgária, acho que estivemos a testar antes de qualquer tour mundial. Isso é para um futuro próximo…

Naturalmente, deves saber que The Power Of Mind foi o álbum do ano para Via Nocturna...
Sim e isso é muito bom e acho que é bem merecido especialmente para Milen Vrabevski, o escritor e produtor. Ele investiu muito tempo a criar este projeto e isso só mostra que nem todos os projetos musicais têm que vir dos EUA ou do Reino Unido para serem bem-sucedidos. Agradecemos a todos vocês por darem a The Power Of Mind apoio que merece.

E agora aqui está a segunda parte do projeto. Como decorreram as coisas desta vez? Quero dizer, na primeira parte todas as músicas já estavam escritas. Agora tiveste a oportunidade de colaborar no processo de escrita?
É o segundo álbum do Projeto Intelligent Music.  My Kind O’ Lovin’ foi ainda melhor recebido. Para mim, este álbum é ainda melhor quer na escrita quer na produção. Há mais ênfase na guitarra o que o torna um pouco mais pesado no sentimento. Não, não colaborei na escrita, Milen sabe o que faz e acho que é a maneira como deve ser. Sim, nós como vocalistas temos um input para os arranjos mas acho que Milen como compositor sabe exatamente o que quer ouvir.

Há também algumas diferenças no conjunto búlgaro. Desta vez não são membros dos Diana Express, pois não?
Não, neste álbum são diferentes músicos, mas claro, todos búlgaros. E mais uma vez excelentes músicos. O trabalho de guitarra é absolutamente deslumbrante. O trabalho de teclado é brilhante e o baixista é excecional. As cores foram adicionadas com backing vocals que funcionaram muito bem. Mas no final o que conta são as composições. Podes ter os melhores músicos do mundo, mas se as músicas não são boas, bem, simplesmente não funciona. Mas nós não temos esse problema.

E desta vez, há a colaboração de mais dois monstros sagrados: Joseph Williams e Simon Phillips. Foi ideia de Milen?
Muitos nomes foram falados, mas acho que, porque os Toto são uma grande banda, o sentimento era, vamos pedir a dois dos rapazes para subir a bordo. Milen entrou em contato com Simon e Joseph, eles gostaram da ideia e das músicas e aconteceu.

Como foi trabalhar com todos esses excelentes músicos?
Não trabalhei diretamente com eles no estúdio. Milen voou para os EUA e gravou as suas partes no estúdio de Simon Phillips, em Los Angeles, o que em certa medida, foi uma coisa boa. Simon tem o seu próprio estúdio e foi capaz não só de fazer o trabalho de bateria, como também ajudar na produção final. Ambos são excelentes músicos e as contribuições que eles fizeram são apenas a cereja no topo do bolo.

Este é também um álbum conceptual ou não? Seja como for, a ideia principal é transmitir uma mensagem positiva…
Pessoalmente não acho que seja um álbum conceptual, mas a mensagem de "vamos criar um mundo com mais amor" é uma coisa positiva e sejamos frontais, poderíamos fazer muito mais com mais amor no mundo. Pessoalmente acho que é uma coleção de músicas muito boas que realmente transmitem uma mensagem do que cada um de nós desejaria.

Como foi o processo de gravação?
As faixas foram gravadas no novo estúdio da Intelligent Music em Sofia/Bulgária que é realmente um bom estúdio. Eu gravei todos os meus vocais lá e como já referi, Simon e Joseph registaram as suas partes em Los Angeles. As sessões de gravação foram boas como sempre, descontraídas e com muitas risadas durante o processo. O que o torna divertido de se fazer.

Este projeto chama-se de Intelligent Music Project e é um facto que todos os arranjos são muito evoluídos e inteligentes, mas porque não chamam também Emotional Music Project? Afinal, a parte emocional nestes discos é tão importante como a racional…
Sim, concordo. O uso da expressão Intelligent Music destaca o que é. A música não é de tendência atual, de rap, com letras banais que, por vezes, pode ter uma mensagem violenta. As letras são cativantes e as pessoas entendem o que penso. Eu posso emocionar-me no que faço e é claro que tento colocar essa emoção sobre a mensagem na letra da canção.

Além deste projeto, está a trabalhar em mais alguma coisa atualmente?
Estou numa fase de organizar uma reunião da minha banda alemã Lucifers Friend. Já passou muito tempo e sempre dissemos que iríamos deixar as pessoas com as suas memórias da banda. Mas, conversando com os restantes elementos, pensamos que há alguns negócios inacabados para serem feitos. Num futuro próximo iremos lançar um best of que irá incluir algumas novas gravações e espero fazer alguns espetáculos ao vivo, coisa que não fazemos desde 1974! Deve ser divertido!

É verdade, e desde a última vez que falamos, já tiveste a oportunidade de visitar Portugal?
Não, infelizmente ainda não! Parece que estou em toda a parte, menos em Portugal. É algo que eu pretendo mudar e poder visitar um país que tem belas paisagens e história.

Bem, John foi um prazer voltar a conversar contigo. Queres acrescentar mais alguma coisa?
E contigo também. A todos os teus leitores, cuidem de vocês mesmos e tenham a certeza de adquirir My Kind O’ Lovin’... e torná-lo "o seu tipo de amor". Obrigado novamente. 

Sem comentários: