quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Entrevista: Katie Garibaldi

Cinco anos depois Katie Garibaldi está de regresso. Foram cinco anos a atuar um pouco por todo os EUA levando o premiado Next Ride Out a toda a gente. Agora vem Follow Your Heart, o mais pessoal álbum da cantora/compositora/guitarrista de S. Francisco. E também um significativo passo em frente no que diz respeito a todo o trabalho de criação, produção e interpretação. Como, aliás, nos confirma a própria Katie!

Olá Katie! Tudo bem? Podemos falar um pouco sobre o teu novo álbum? Como foi o trabalho de preparação que culminou nesta nova obra?
Muito obrigado! Uma vez que já tinha decidido quais as músicas que queria neste álbum, demorou algum tempo até conseguir ter as circunstâncias certas para as poder gravar. Quando encontrei o estúdio e as pessoas certas para trabalhar, foi tudo muito mais fácil e já não houve grande trabalho. O baixo, bateria e as minhas vozes foram gravadas ao vivo em dois dias. Depois tive a oportunidade de conhecer Minna Choi, diretor da orquestra Magik * Magik, com quem tive a honra de trabalhar na secção de cordas. Todos os músicos são fenomenais e foi muito divertido conseguir fazer as faixas com eles.

Em termos de longa duração, tens estado em silêncio desde 2009, altura em lançaste Next Ride Out. Foi só pelas razões anteriormente apresentadas que demoraste tanto tempo a colocar cá fora outro disco?
Next Ride Out permitiu-me fazer uma grande tour. Andei em tournée durante cinco anos com aquele álbum e ele continuaria a dar-me mais oportunidades para tocar. Estou muito grata por isso. Quase comecei a gravar um novo álbum várias vezes, mas as circunstâncias não eram as melhores e, pessoalmente, desde que fiz estas músicas sempre tive uma visão clara na minha mente de como haveriam de soar. Por isso, era melhor esperar pelo momento certo.

Esse álbum, Next Ride Out, foi bastante premiado. Parabéns! Mas, depois sentiste alguma pressão no processo de composição deste novo disco? De alguma forma influenciou este hiato entre álbuns?
Não me sinto pressionada por ter ganho prémios. Estou orgulhosa de Next Ride Out, mas não penso nisso. Se acontecer, ótimo, agradeço, mas o meu objetivo quando escrevo e faço música não são os prémios. A música é a minha paixão e é uma grande alegria ser capaz de fazer o que gosto e poder espalhar a minha mensagem. E não vejo esse tempo entre álbuns como um hiato porque estou sempre ocupada com tournées e apresentações ao vivo entre os discos, bem como a escrever.  

Por isso, não adianta perguntar-te se tens o mesmo tipo de expetativas para este trabalho…
Não tenho expetativas para prémios porque não penso sobre essas coisas quando estou a fazer um disco. A única expetativa que eu tinha era o som do disco e estava muito feliz por poder trabalhar num estúdio incrível, com um engenheiro e músicos incríveis. Toda a experiência foi tão especial que superou as minhas expetativas.

Pelo meio foste considerada compositora do ano em 2012. Mais responsabilidades ou mais forças para continuar a trabalhar? Lembras-te de quando recebeste o prémio? Podes descrever o que sentiste?
Estava num showcase de compositores que se realizava no The Mint, em LA e não fazia a mínima ideia que tinha ganho por isso foi uma surpresa completa. Depois de ter tocado, o anfitrião presenteou-me com esse prémio. Foi muito emocionante. Estou muito grata à comunidade de compositores pelo reconhecimento.

Voltando a Follow Your Heart, pareces muito animada com as sessões de gravação nos Tiny Telephone Studios. Foi a primeira experiência lá?
Sim, esta foi a minha primeira gravação nos Tiny Telephone Studios. Não consigo encontrar palavras para descrever a minha experiência lá. Gravar Follow Your Heart foi mágico e, basicamente, uma das melhores experiências da minha carreira e vida. Um dos maiores fatores que fizeram a gravação deste álbum como uma grande experiência foi o meu engenheiro, Ian Pellicci. Ele é uma pessoa incrível e fez-me sentir em casa. Outro grande fator foram os músicos, incluindo o baixista Kevin Blair e o baterista Todd Richardson. Houve essa química mágica que eu nunca senti antes. Realmente sinto que derramamos os nossos corações e almas para este disco e isso nota-se nas canções.

Follow Your Heart é já o teu sétimo álbum. Como o descreveria, principalmente em comparação com os anteriores?
Diria que cada álbum é como uma fotografia da minha vida no momento em que o gravo. Os meus três primeiros álbuns foram gravados em estúdios caseiros de amigos, os dois primeiros totalmente sozinha e o terceiro começando a experimentar alguns instrumentos de fundo. Era jovem e a minhas composições eram, definitivamente, um pouco diferentes do que são agora. Nessa altura, ainda tentava encontrar o meu som e formas de usar a música como uma válvula de escape emocional. Os meus dois álbuns seguintes, Fireflies e Fallen Angel, foram gravados no meu estúdio em casa já com músicos de apoio a tentar encontrar a minha sonoridade enquanto artista. Estou muito orgulhosa daqueles álbuns que me ajudaram a definir o meu caminho como compositora. O seguinte foi Next Ride Out, que é, na realidade, a minha primeira gravação num estúdio profissional trabalhando com um produtor. Follow Your Heart é o meu sétimo trabalho e tem, provavelmente, as músicas mais pessoais até à data, e também o mais próximo da forma como eu quero que a minha música soe. Tive muita liberdade criativa no estúdio e houve bastante diversão com a adição de alguns instrumentos que eu nunca tive nas minhas músicas, mas sempre quis, como pedal steel e violoncelo. Senti-me sem limitações - todas as infinitas possibilidades no estúdio.

Podemos dizer que neste álbum simplesmente… seguiste o teu coração?
Definitivamente. A mensagem de "segue o teu coração" tornou-se cada vez mais forte à medida que a produção deste álbum avançou. Escrevi uma música sobre a importância de seguir a voz dentro do teu coração e que tem sido uma grande lição na minha vida e abrange muitos dos temas das músicas do álbum. Follow Your Heart tornou-se a pedra angular da fundação deste álbum e percebi que em tudo na vida, quaisquer contratempos são realmente configurações para algo maior e mais doce. Tens apenas que ser corajoso o suficiente para seguir o teu coração que ele te levará aonde precisa ir, para além dos teus sonhos. Com todos esses sonhos a tornarem-se realidade durante a gravação do disco - como trabalhar com uma orquestra e encontrar o meu engenheiro de sonho – percebi que tinha que dar esse nome ao álbum.  

Muitas pessoas colaboraram contigo em Follow Your Heart. Foi fácil trabalhar com todos eles e gerir todas as agendas no processo de gravação?
Foi um prazer trabalhar com todos os músicos deste álbum. Isso pode soar a clichê, mas acho que estive literalmente em estado de choque em 99% do tempo de gravação, porque estava encantada com o talento de todos eles e também com toda a sua energia positiva. Eu não poderia ter pedido melhores músicos ou experiência mais encantadora. Sinto-me uma sortuda por ter tais músicos incríveis para sempre documentados nas minhas músicas. Foi um pouco de outro mundo encontrar almas gémeas musicais tão facilmente. Toda a gente foi muito profissional e deu-me exatamente os sons que eu imaginava na minha cabeça. Estou muito feliz.

O que já há a respeito de ires para a estrada com Follow Your Heart?
Lancei Follow Your Heart há pouco mais de um mês e temos estado em tournée desde então. Voltei para Nashville para tocar as músicas do novo álbum logo após o seu lançamento, o que foi muito divertido. Atualmente estou em tournée na Califórnia central e tenho planos de fazer uma tournée em Washington, Oregon, Texas, Califórnia e voltar ao Tennessee novamente antes do fim do ano. Vou continuar a seguir o meu coração para novas aventuras em lugares diferentes para o Ano Novo e mais além!

Obrigado, Katie! Queres acrescentar mais alguma coisa?
Obrigado pelo teu apoio! Sintam-se à vontade para verificar as minhas datas da tour no meu site em www.katiegaribaldi.com. Gostaria de vos ver na estrada! 

Sem comentários: