quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Entrevista: Rafael Barreiros

Bandas, músicos e intérpretes têm sido, ao longo destes anos, os principais abordados nas nossas entrevistas. Mas, nesta, quisemos ir um pouco mais além, saber mais sobre quem prepara esses músicos e intérpretes. Rafael Barreiros trabalha em S. Paulo (Brasil) e foi ele que quisemos saber como se prepara um vocalista de rock/metal.

Olá Rafael! Obrigado pela tua disponibilidade. Normalmente, aqui em Via Nocturna, entrevistamos músicos e bandas, pelo que esta é a primeira vez que alargamos o nosso âmbito de ação. Por isso, começa por te perguntar quais são exatamente as tuas funções?
Olá! Sou professor de canto certificado, preparador vocal e produtor musical. Represento o Institute for Vocal Advencement (IVA) na América do Sul.

Há quanto tempo te dedicas ao ensino da música? Estiveste sempre ligado ao canto ou não?
Sou professor de música desde 1994 e comecei a ensinar canto em 2002.

Em que instituições tens executado, ao longo dos anos, as tuas atividades?
Trabalhei em diversas escolas na cidade de São Paulo e também no interior do Estado de São Paulo. Estive ligado oficialmente ao Speech Level Singing (SLS) de 2008 a 2013 e de 2013 para cá sou certificado pelo Institute for Vocal Advencement, com o meu próprio estúdio desde 2008 no Bairro de Pinheiros, em São Paulo.

Ao longo destes anos que nomes/artistas recorreram às tuas faculdades?
Trabalhei e ainda trabalho com diversos artistas brasileiros, como: 5 a Seco, Guto Cornaccioni, Caê Rolfsen, Gabriel Setubal (Pitanga em Pé de amora), Madame Mim, Big Chico Gaita Blues, Cadu Carvalho, Dudu Setti, Renato Primo, Storya, Ricardo DeStefano, Fernanda Faya, João Guarizo, Cintia Maia e Paulo Capella.

Se falarmos em técnicas vocais de canto, existe uma preparação específica para vocalistas de rock/heavy metal?
Qualquer estilo demanda primeiro o controle e equilíbrio vocal, o que a antiga escola de canto italiana chamava de Voz natural. O rock é por definição um estilo mais vigoroso e em alguns casos, mais agressivo. Algumas vozes naturalmente soam mais “sujas” que outras. É preciso que o professor saiba antes como balancear a voz do estudante, muito antes de aplicar os adornos referentes ao estilo. O que temos é muita gente a tentar efeitos na voz antes mesmo de dominarem a primeira passagem vocal, por exemplo.

Em termos sucintos, como se prepara uma voz para ser vocalista de rock/metal?
Prepara-se como se prepara qualquer voz para qualquer estilo, com exercícios para ajustar a respiração, cordas vocais e ressonância. Esse é o tripé que sustenta um canto equilibrado. Se o professor não conhece como equilibrar uma voz nas passagens vocais por todo o range do aluno, não adianta propor exercícios de drive, screamin ou outros adornos de rock. Isso vale para qualquer estética.

Suponho que trabalhes, essencialmente, a parte técnica. Há espaço nos teus métodos de formação para o efeito “sentimento”, chamemos-lhe assim, ou isso depende da entrega de cada vocalista?
Quando consegues equilibrar uma voz em toda a sua extensão, é possível então, trabalhar dinâmica, vibratos, portamentos etc. A emoção do cantor também depende do quão livre ele está na relação com a sua própria voz. Existem cantores com péssima técnica no mercado, mas que têm bastante emoção. É um erro comum e crasso dizer que se esse cantor estudasse técnica, ele perderia toda a emoção na interpretação. Infelizmente essa é uma lenda que é perpetuada até por produtores musicais no mundo todo.

Sei que para além de coach nesta área também és multi-instrumentista. Qual o teu instrumento preferido?
Comecei com violão erudito aos 8 anos, bateria aos 14, violão guitarra e baixo aos 15 anos. Uso o piano apenas como apoio para as aulas, mas o meu instrumento preferido é o violão.

Tens desenvolvido ultimamente algum trabalho musical em alguma banda ou de forma individual?
O meu projeto pessoal é a gravação a nível profissional dos meus alunos. São vários pequenos projetos deles, andando todos ao mesmo tempo.

Tens estado ultimamente envolvido com algum projeto em termos de composição e/ou produção?
Já fui compositor, mas nesse momento apenas trabalho na pré-produção vocal de alunos e artistas que me procuram para trabalhos profissionais.

Quem estiver interessado nos teus serviços, o que deve fazer?
No meu site www.rafaelbarreiros.com as pessoas podem falar comigo através de um formulário de contato e agendar as aulas inclusive por Skype.

Obrigado Rafael, mais uma vez. Queres deixar uma última mensagem?
Quero agradecer pelo espaço da entrevista e dizer que cantar é uma arte que se desenvolve com muita paixão e persistência, sem esses dois fatores não se chega muito longe. Continuem praticando. Os melhores cantores são os que mais praticam. Obrigado!

Sem comentários: