segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Entrevista: Axenstar


Três anos depois, mas com a estabilidade adquirida pela manutenção do mesmo line-up há cinco anos e com uma nova editora, os Axenstar estão de regresso com Where Dreams Are Forgotten, a perfeita mistura entre poder e melodia naquele que pode ser considerado como o melhor trabalho do coletivo sueco. Fomos falar com o vocalista e baixista, Magnus Wilterwild para percebermos que sonhos se perderam… ou concretizaram!

Olá Magnus! Obrigado pela tua disponibilidade! Como vocês, nos Axenstar, se sentem com este novo disco?
Muito bem! Estamos muito felizes com o resultado!

Sentem que é o vosso melhor álbum de sempre?
Sim, sentimos! É muito melódico, mas poderoso e parece-me que realmente se encaixa no cenário atual do metal.

Uma das grandes novidades é a vossa nova editora. Como chegaram à Inner Wound Recordings?
Entramos em contato com Emil da Inner Wound Recordings uma vez que tínhamos ouvido falar bem a seu respeito e da sua editora. Depois de algumas negociações, decidimos assinar um contrato e estamos muito satisfeitos com o trabalho e dedicação que o Emil colocou na banda e neste lançamento.

O que têm andado a fazer desde o lançamento do Aftermath, há três anos?
Escrever músicas, ensaiar, procurar a editora certa, o que já é bastante (risos)!

Mantiveram o mesmo line-up nos últimos 5 anos. É esta estabilidade importante para conseguirem fazer um álbum tão forte como Where Dreams Are Forgotten?
Sim, é, obviamente, importante ter essa estabilidade, com certeza as coisas ficam mais fáceis. E tem sido ótimo ter toda a banda envolvida na composição e arranjos das músicas, já que temos bastantes e diferentes inputs e pontos de vista sobre música.

Falando do álbum, tinham alguma coisa em mente quando decidiram um título como este?
Nem por isso. Na realidade, o título é retirado da letra da canção Sweet Farewell e essa música é sobre uma pessoas que perdeu a vontade de viver tendo-se dado conta de que a única coisa certa na vida é que todos nós vamos morrer. Por isso, ele atingiu o ponto em que os seus sonhos são esquecidos.

Como foram os processos de composição, gravação, produção desta vez? Alguma mudança em relação à vossa forma tradicional de trabalhar?
Como mencionei no início desta entrevista, todos os elementos da banda estiveram envolvidos tanto na composição como nos arranjos das canções. Fizemos muitas gravações de pré-produção desta vez e, por isso, tivemos a oportunidade de analisar as músicas antes das gravações "a sério" começarem.

A respeito da música e da temática deste álbum. Podes descrever um pouco aquilo que os fãs poderão ouvir?
Espero e acho que os fãs vão ouvir um novo álbum dos Axenstar emocionante, que tem algumas novas influências, mas que também se conecta com os nossos primeiros álbuns, mantendo um som caraterístico da banda.

Grande artwork, deixa-me referir! Outro excelente trabalho de Felipe Machado Franco... Sentes que ele foi capaz de capturar os vossos sentimentos neste álbum?
Absolutamente! Enviamos a Felipe algumas músicas e letras para que ele pudesse entrar no clima certo, e ele veio com uma ideia que depois de troca de e-mails ficou decidido seria a capa e, como sempre, ele fez um ótimo trabalho.

Estão no ativo há já vários anos, com discos em várias editoras. Como vês a evolução do heavy metal ao longo da última década?
Bem, houve bastantes tendências indo e vindo durante este tempo, mas sinto que a cena metal atual é bastante boa para nós, ou pelo menos vai na direção certa. Mas também acho que os fãs de metal sempre apreciaram boa música portanto, nesse sentido, não importa que tipo de tendências são populares no momento.

Têm algum vídeo retirado deste álbum?
Sim, fizemos um vídeo para a faixa de abertura Fear, uma vez que pensamos que é uma música que representa o álbum. Temos planos para fazer um segundo vídeo, mas vamos ver como as coisas evoluem.

E a respeito de uma tournée? Alguma coisa planeada?
Estamos sempre à procura de oportunidades para sair para a estrada e temos alguns shows planeados, mas nada oficial ainda.

Obrigado Magnus! Foi um prazer falar contigo. Queres acrescentar mais alguma coisa para os nossos leitores ou para os vossos fãs?
Certifique-se de verificar o álbum novo dos Axenstar  Where Dreams Are Forgotten e lembrem-se sempre de apoiar a vossa sua cena local de metal!!

Sem comentários: