sábado, 20 de dezembro de 2014

Review: Albion (Ten)

Albion (Ten)
(2014, Rocktopia Records/Cargo Records)
(5.9/6)

Desde há muito que Ten é sinónimo de inegável classe no campo do hard rock melódico. Depois de vários anos na editora mais emblemática do género, a Frontiers Records, Gary Hughes e seus companheiros deram um passo em frente e assinaram por dois álbuns com a Rocktopia. O primeiro desses discos está aí, chama-se Albion e ainda vem a tempo de ser incluído em muitas listas dos melhores do ano. Porque, de facto, Albion é um disco sensacional! A forma como os Ten juntam a costela hard rock britânica (bem conhecida por estar na origem de alguns seminais álbuns ao longo da sua história) com elementos celta/folk numa linha Falconer é brilhante. Mas para essa mistura resultar é preciso que as canções tenham sumo, sejam precisas nos arranjos, apresentem argumentos de eleição, possuam emotividade, criatividade e beleza. Escusado dizer que os dez temas de Albion, a começar em Alone In The Dark - soberba melodia, sensacionais coros e um trabalho de guitarra simplesmente de arrepiar (atentem só nos pormenores no solo e deliciem-se!) - e a terminar em Wild Horses, tem tudo o que foi referido. Mas tem mais: tem um vocalista com um desempenho que chega a arrepiar (isso acontece principalmente numa indescritível balada – uma das melhores baladas que já ouvimos – Gioco D’Amore); tem coros de uma classe inimaginável (citamos só como exemplo o inicio à capela de Albion Born); tem refrães de uma beleza rara – por exemplo é espetacular o de Die For Me e, claro, tem linhas melódicas e arranjos a roçar a perfeição. Albion imbui-se de um espirito celta mas tem tempo, também, para navegar pelo mar alto na companhia de piratas; introduz pormenores de pura magia; cria canções que dão prazer ouvir. Porque, no fundo, é disso que se trata: os Ten apresentam um disco com tal beleza, intensidade e qualidade que transmitem uma sensação de prazer e bem-estar ao ouvi-lo. De tal forma que nem nos apercebemos que estamos a ouvir um disco com quase uma hora de duração! Simplesmente obrigatório em todas as vossas playlists!

Tracklist:
1. Alone In The Dark Tonight
2. Battlefield
3. It’s Alive
4. Albion Born
5. Sometimes Love Takes The Long
6. A Smuggler’s Tale
7. It Ends This Day
8. Die For Me 
9. Gioco D’Amore 
10. Wild Horses

Line-up:
Gary Hughes – vocais, guitarras, programações
Dann Rosingana – guitarras
Steve Grocott – guitarras 
John Halliwell – guitarras
Steve Mckenna – baixo
Darrel Treece-Birch – teclados
Max Yates – bateria e percussão

Internet:

Sem comentários: