terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Review: Soldiers Of The Mark (New Jacobin Club)

Soldiers Of The Mark (New Jacobin Club)
(2014, Manticore)
(5.0/6)

Desde 1994 que os New Jacobin Club vêm lançando álbuns e Ep’s de forma regular, mas desta feita, pelo menos em termos de longa-duração, temos que recuar quatro anos até encontrar o álbum anterior – This Treason – se bem que tenha havido um EP – Left Behind – pelo meio. Mestres do shock/horror rock no Canadá apresentam um álbum curto que não deixa os seus créditos por mãos alheias. Isto equivale por dizer que o seu heavy metal está cheio de ruídos sinistros que ajudam a criar ambientes de um filme de terror. Presente está muita teatralidade, cimentada também pela dualidade vocal, onde os vocais mais agressivos surgem a espaços (Parade Of Innocents e Into The Fire). Musicalmente Soldiers Of The Mark anda próximo do que os Therion fizeram-na fase Gothic Kabbalah (embora sem a componente orquestral nem operática dos suecos – mesmo levando em linha de conta a presença de uma violoncelista no coletivo) eventualmente pela semelhança com o trabalho de Snowy Shaw. E desde aqui salta-se obrigatoriamente para o verdadeiro pai do género: Alice Cooper. As diferenças surgem também na componente punkMisfits – que aqui vai surgindo mais ou menos camuflada. Independentemente de todas as comparações – que ajudam o situar o que aqui se ouve – importa é referir que Soldiers Of The Mark é um disco extravagante, teatral, circense, artístico e com arranjos e estruturas muito interessantes o que leva a apresentar um conjunto de temas de heavy metal com algum classicismo e com boas malhas, nomeadamente The Mark, Champagne Ivy, My Smile e Return To Eden. Uma boa continuação, portanto, do rico trajeto que os canadianos têm vindo a desenvolver.

Tracklist:
1. The Mark
2. Parade Of Innocents
3. Champagne Ivy
4. Angel MMXIV
5. A Grey Day To Die
6. Into The Fire
7. Garthim
8. My Smile
9. Seal Of Metatron
10. Return To Eden

Line-up:
The Horde – vocais/guitarras
Mistress Nagini – teclados
The Ruin – baixo
The Luminous – violoncelo
Rat King – bateria
Poison Candi – vocais, theremin, percussão

Internet:

Edição: Manticore

Sem comentários: