segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Entrevista: Cheers Leaders

Rei morto, rei posto. Diz o povo e com razão e plena aplicabilidade a este novo projeto Cheers Leaders que junta três ex-elementos dos extintos The Bourbons. Segundo nos confidenciou o vocalista Nelson Fontes, vontade de trabalhar não falta portanto, seguramente que em breve surgirão resultados desse empenho. 

Este é um novo projeto que surge na sequência dos The Bourbons. Podemos afirmar que surge sobre ou paralelamente?
Os Cheers Leaders surgem na sequência do projeto anterior, com a mesma vontade de fazer a musica que gostamos e acreditamos. Para tal, continuamos com 3 membros da antiga banda: Gilberto Ferreira o nosso Baixista, Nelson Fontes dá a voz uma vez mais, Tiago Marques o nosso Guitarrista. Convidámos o Baterista Miguel Ferreira que já conhecemos pessoalmente e de outros projetos, para fazer parte da nossa secção rítmica. Convite aceite e prontamente começámos esta nova fase da nossa aventura musical.

Afinal, o que se passou com os The Bourbons e como nascem os Cheers Leaders?
A nossa anterior experiência musical terminou no final de 2014 após constatarmos que algumas prioridades a nível profissional e pessoal iriam comprometer o futuro do projeto que estava a começar a dar frutos do trabalho que fizemos durante os 3 anos de existência. Decidimos então por termo a essa fase e iniciar uma nova banda, à qual decidimos nomear de Cheers Leaders.

O facto de haver outras bandas com o mesmo nome (The Bourbons) influenciou a mudança de nome ou querem mesmo frisar que se trata de uma projeto novo e independente?
Podemos afirmar que ambos os motivos estão corretos. Por um lado haver outras bandas com o mesmo nome que o nosso, seria um ponto negativo para nós. Portanto houve vontade e iniciativa de alterar esse facto. Por outro lado, queremos também sublinhar esta nova fase, com um novo nome para nos destacarmos e dar importância aos 4 elementos que fazem parte de uma nova banda que se chama Cheers Leaders, evitando assim, comparações com as nossas prestações anteriores.

Sendo que ainda estão numa fase inicial, qual o trabalho que tem sido desenvolvido de forma prioritária?
Estamos de momento na fase de criação de novos temas para que possamos ter reportório suficiente para começar a fazer concertos ao vivo, algo que nos enche de vida, sendo aquilo que mais gostamos de fazer. No entanto estamos também a organizar os sítios na internet onde pretendemos marcar presença, tais como Facebook, You Tube, ReverbNation, Vimeo…etc. Nesta fase inicial do projeto, estamos a reunir material para inserir nos locais acima mencionados, para ir mostrando o desenvolvimento do nosso trabalho e chegar até ao público que possa estar interessado em o conhecer.

Quais os objetivos, então, definidos numa primeira fase?
Para já estamos a ensaiar o mais que nos é possível, para que as músicas comecem a ganhar forma, para quando chegar o momento de as tocar ao vivo, estarem corpulentas e nós estarmos com um bom nível de confidência e química na nossa prestação em palco. Acreditamos que a partir desse momento tudo o resto começará a surgir naturalmente.

Em termos musicais, o que podem os ouvintes esperar dos Cheers Leaders? Algo próximo ao que os The Bourbons faziam ou há um distanciamento?
Com a nossa marca pessoal e caraterística de sempre, agora com o Miguel a bordo nesta aventura, o nosso horizonte musical está em muito boa forma. Como anteriormente, gostamos de fundir e misturar uma sonoridade com bases no Rock, combinando-o com outras influências das quais também gostamos, mais direcionadas para o ambiente do Metal.

Nessa perspetiva, irá haver a recuperação de algum tema da antiga banda?
Mantemos a nossa fórmula de composição de temas e construímos bons temas no final da caminhada anterior aos Cheers Leaders. Existem portanto músicas nas quais estávamos a trabalhar, que agora estamos a envolver numa nova roupagem para esta nossa renovada fase musical.

A gravação de um disco estará, porventura, nos vossos planos. Ainda é cedo para falarmos nisso? Qual é o ponto da situação?
O nosso disco de estreia é algo que está bem presente nos nossos planos para o futuro, embora para já ainda sem que possamos avançar uma data provisória para esse acontecimento. Estamos a trabalhar para amadurecer os temas que já temos e a compor mais músicas para incluir no disco, que pretendemos que seja forte a nível musical e com uma identidade que possa fazer reconhecer o nosso trabalho.

Para além dos Cheers Leaders, estão envolvidos em mais algum projeto?
Alguns membros dos Cheers Leaders mantêm em paralelo outros projetos como por exemplo Primal Attack, O Cerco, Wolf Owl Bear e Falcata de Fogo, todos bastante distintos uns dos outros e principalmente de Cheers Leaders.

Mais uma vez obrigado! Querem deixar alguma mensagem?
Os Cheers Leaders agradecem esta entrevista e saúdam os leitores interessados em saber sobre o nosso trabalho! Esperamos que nos continuem a acompanhar tanto nos sítios na internet, como se possível, nos concertos que iremos divulgar futuramente. Até breve…CHEERS!

1 comentário:

PANTERA disse...

The show must go on!