terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Review: DHIST (Cinemuerte)

DHIST (Cinemuerte)
(2014, Raging Planet Records)
(5.1/6)

Os Cinemuerte são um dos coletivos mais consistentes do atual panorama rock/heavy nacional. A sua postura e coerência ao longo dos anos granjeou-lhes prestigio e reconhecimento e cada lançamento seu é aguardado com expetativa. DHIST é um EP com apenas cinco temas mas que reúne tudo o que se disse do quarteto. Sobriedade a andar de mão dada com complexidade; maturidade a acompanhar a inteligência nos arranjos. Bem notória na forma sempre bem conseguida como os elementos rockeiros se cruzam e interagem com as partes sequenciadas e/ou programadas. E na forma como a voz e presença forte de Sophia Vieira se integra nesse quadro. Aquela forma de atacar as notas e de as prolongar é única e irrepetível (provavelmente só mesmo… Anneke van Giersbergen!) Os temas desenvolvem-se como se de um labirinto musical se tratasse no qual o pleno sentido é encontrado quando o ouvinte descobre a sua própria saída. Parece que há outros EP’s na calha. Ficamos ansiosamente à espera de mais…

Tracklist:
1.      Dog
2.      Heaven’s Not Too Far
3.      I’m Not Much Here Without You
4.      Shining Shadows In The Sand
5.      The Park

Line-up:
Fred Gonçalves – guitarras
João Vaz – baixo, samples, teclados
Sophia Vieira – vocais
Sérgio Lopo – bateria

Internet:

Sem comentários: