sábado, 14 de fevereiro de 2015

Review: Lemme Tell Ya! (Johnny Fontane and The Rivals)

Lemme Tell Ya! (Johnny Fontane and the Rivals)
(2015, Wanted Men Recordings)
(5.8/6)

Johnny Fontane é nome de gangster mafioso, mas neste caso é o nome de um coletivo suíço praticante de blues rock que se estreia com Lemme Tell Ya! E que se estreia de uma forma absolutamente fantástica. O quarteto cruza de uma forma magistral rock, blues rock, soul e rock ‘n’ roll num conjunto de 12 temas variados, emotivos, imponentes, cheios de riffs, grandes solos e fantásticas harmonias vocais. O álbum até abre em ritmos pouco bluesy com Black Cadillac, mais orientado para um poeirento Texas e cheio de sucessivos breaks. Mas não é preciso esperar muito. Hands On You é um brutal blues numa linha Stevie Ray Vaughan/Gary Moore enriquecido por deliciosos arranjos de metais. Help Me continua a senda blues embora com uns backing vocals cheios de soul, cortesia de Justina Lee Brown. I’m Gonna Die, uma balada em tons de blues que volta a trazer o nome de Gary Moore, antecede outro dos grandes momentos do disco, Tell Me, onde a participação soberba de Vinnie Moore com a sua guitarra em sucessivos diálogos com o piano se torna magistral. Depois de entrarmos em campos mais funk, em Like A Real Man, Justina Lee Brown volta a brilhar ao assumir a totalidade das vocalizações em This Ain’t Mississippi, um blues que pedia o poder e emoção de uma voz cheia de soul negro para o elevar a patamares de imortalidade. Verdadeiramente sensacional! Not Close Enough surpreende por entrar por campos mais melodic rock a cruzar uma guitarra grandiosa com um hammond minimalista. Excelente! Se anteriormente já havia algumas referências a Gary Moore elas acentuam-se definitivamente em Garymental, um instrumental heavy carregado de simbolismo e sentimento que homenageia um dos maiores guitarristas do blues rock de sempre. Estamos já na reta final de um disco mágico mas ainda há tempo para os helvéticos visitarem o rock ‘n’ roll em Too Big To Fail, apresentarem uma melodia singela de cariz quase religioso em Life Is Beautiful e fecharem com um blues rural com o último dos convidados – Marco Pantherra – a entrar em cena com a sua harmónica em Steam Train. Portanto, ainda o ano mal começou e já aqui temos a primeira grande candidatura a melhor álbum do ano. Um superior quarteto enriquecido por prestações deliciosas dos seus convidados apresenta um sensacional conjunto de canções com base no blues rock mas que se sente livre para incorporar outras tendências. E Gary Moore pode estar descansado. Esteja onde estiver, o seu legado está bem entregue!

Tracklist:
1.      Black Cadillac
2.      Hands On You
3.      Help Me
4.      I’m Gonna Die
5.      Tell Me
6.      Like A Real Man
7.      This Ain’t Mississippi
8.      Not Close Enough
9.      Garymental
10.  Too Big To Fail
11.  Life Is Beautiful
12.  Steam Train

Line-up:
Tom Marcozzi – vocais e guitarras
Philipp Lüdi – órgão e piano
Lukas Zürcher – bateria e percussão
Christian Spahni – baixo

Convidados:
Vinnie Moore – guitarra solo em #5
Justina Lee Brown – lead vocals em #7 e backing vocals em #3 e #6
Marco Pantherra – harmónica em #12
Sami Lörtscher – trompete em #2
Beat Mürner – saxofone alto em #2
Jonas Beck – trombone em #2

Internet:

Sem comentários: