segunda-feira, 30 de março de 2015

Entrevista: The Ramble Riders

Com Mexican Ride mostraram argumentos que agora se confirmam com o primeiro longa duração Super Fat Bitch. Os The Ramble Riders são, atualmente, um dos expoentes máximos do hard rock de inspiração sulista da cena nacional. Voltamos a conversar com um Ricardo Marques que sabe aonde pode chegar com todo o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido.

Olá Ricardo, tudo bem? Regresso dos The Ramble Riders com um longa duração – qual é o vosso sentimento nesta altura?
Boas! Desde já aproveitamos para cumprimentar todos os leitores da Via Nocturna. Neste momento temos o sentimento de objetivo concretizado. Gravar um longa duração é algo que já queríamos há muito tempo. Foi algo que nos deu tanto de trabalho como de satisfação e estamos contentes com o resultado final.

De que forma foi o trabalho de preparação e gravação do álbum?
Tal como o nosso EP de estreia, todo o álbum, com exceção da bateria, foi trabalhado e gravado no nosso estúdio com poucos recursos e equipamento próprio. Depois da fase de gravação, a mistura foi processo lento de forma a alcançarmos o que realmente queríamos. 

Voltamos a ter mais uma dose maciça de rock ‘n’ roll que não deve ser ignorada. Sentem que este trabalho está a ser bem aceite?
Sim! Até agora tem sido bastante positivo. Com os concertos deste ano, esperamos conseguir ter o feedback por parte do público. Já tivemos algumas reviews e opiniões, umas mais positivas que outras mas no geral tem sido bem aceite.

Na tua opinião, de que forma são notórias as semelhanças e/ou diferenças para Mexican Ride?
Comparando os dois trabalhos, quer em composição quer em qualidade sonora, são mais notórias as diferenças que as semelhanças. Em termos de composição, no Mexican Ride ainda estávamos à procura do nosso tipo de som visto ser um novo projeto e dentro do grupo termos influências em vários estilos, enquanto que no Super Fat Bitch já está mais vincado o que queremos.

Entre o EP e este álbum tiveram a oportunidade de vivenciar algumas experiências interessantes, como por exemplo tocar em Espanha com os Kamchatka. Como foi essa experiência?
Foi fantástico! Em primeiro lugar tocar fora de Portugal era algo que já queríamos há algum tempo e mal recebemos o convite para tocar no Lestrato Fest com os Kamchatka aceitamos de imediato. Poder partilhar palco e experiências com bandas como esta é um orgulho. Foi uma grande noite de Rock num Festival que tem crescido de ano para ano!

Um primeiro passo na internacionalização que deve ser um dos vossos objetivos…
Sim, é um objetivo que não temos medo de assumir. Trabalhamos no que mais gostamos de fazer para ver o nosso trabalho ser reconhecido lá fora como já sabemos que está a acontecer. Esperamos que um dia seja possível!

E a vossa participação no 5 para a Meia Noite?
A nossa participação começou como um teste a nós mesmos. Vimos o concurso nas redes sociais e decidimos participar para vermos até que ponto o nosso trabalho era reconhecido. Fomos selecionados para tocar em direto no programa. Fomos com o objetivo de nos mostrar ao país e acabámos por ficar na frente quase até ao fim. Foi uma experiencia muito positiva.

O vosso habitat natural é, naturalmente, o palco. O que têm em vista para promover Super Fat Bitch neste campo?
Sim, o palco é mesmo a nossa casa! Este ano já temos alguns concertos marcados para Super Fat Tour. Vamos estar pelo Porto, Aveiro, Montijo, Braga, Leiria, Lisboa, etc. Tudo datas e espaços que se podem ver quer no nosso site quer nas redes sociais. Mas de realçar que ainda não está fechada. A curto prazo vão ser anunciadas mais datas.

Que outros projetos têm em vista para os próximos tempos?
Para já estamos mais concentrados na promoção do Super Fat Bitch este ano, querendo ainda aumentar o número de datas. Estamos também já a trabalhar em novos temas e a prever novidades lá para o fim do ano.

Muito obrigado, mais uma vez, Ricardo. Queres deixar alguma mensagem?
Em primeiro lugar, agradecer à Via Nocturna a oportunidade e dar os parabéns pelo trabalho na promoção das bandas portuguesas. Dizer também para ouvirem as nossas músicas que já estão disponíveis nas plataformas online e estarem atentos à tour porque vamos estar por aí a partir palcos em grandes noites de Rock! Ramble On!! 

Sem comentários: