quarta-feira, 29 de abril de 2015

Entrevista: Majax

Majax é uma banda oriunda dos arredores de Coimbra, carregada de fuzz, orientações psicadélicas, riffs pesados e vontade de fazer música. Usando uma linha condutora para uma certa conceptualidade, Vostok 1 é o primeiro EP e registo discográfico da banda com influências desde o Psicadélico progressivo dos 60 e 70, passando pelo Post-Punk até ao heavy metal. Deixar a sua impressão musical com o seu próprio som é o seu objectivo. André Figueiredo (guitarrista) fala-nos da banda, do EP e das expectativas futuras.

Olá André, tudo bem? Vamos começar pelo princípio – quando começaram o projeto Majax e o que vos motivou a juntarem-se?
Antes de mais um grande obrigado pela atenção em relação ao nosso trabalho! O motivo é simples, o nosso gosto pela música, que sem ele nada disto era possível. Os Majax na formação definitiva estão juntos desde sensivelmente maio de 2014.

Já tinham tido outras experiências antes?
Eu (André Figueiredo, guitarrista) e o João (Figueiredo, baterista) já tínhamos tocado noutra banda há uns anos atrás, com o João como baixista. A Chloë (Illingworth, baixista) teve um projeto a tocar teclas.

Como tem sido o vosso trajeto até aqui?
Desde que começamos, mesmo antes da formação atual, começamos logo por compor música original, pois a nossa grande força motriz é fazer música que possamos identificar como nossa. Mas, com o fraco apoio, principalmente na nossa zona, que nos entristece, desde o início que foi complicado mostrarmos ao vivo a nossa música, sendo também esta uma das razões de gravarmos o EP, para ter um trabalho mais profissional, além de ser sempre bom termos o nosso próprio registo discográfico. Porém agora o caminho já parece mais risonho, que, como tendo este trabalho mais profissional já estamos a ter mais algumas possibilidades para apresentações ao vivo, o que é ótimo para nós.

Algum significado para o nome Majax?
Começou como um nome sem significado nenhum, sugerido pelo João, e como foi sugerido no início da banda, e na altura ainda não tínhamos ideias bem definidas, aceitamos e ficou. Algum tempo depois é que descobrimos que existe um ilusionista francês com o nome artístico de Gérard Majax, e achamos que foi uma feliz coincidência.

De que forma descrevem a vossa sonoridade?
Acho que a nossa sonoridade vem do que nós individualmente gostamos de ouvir, podemos dizer que é uma grande mistura de psicadélico progressivo, com pos-punk, stone-rock e heavy-metal, noise rock, com guitarra e baixo com muitos efeitos e muito fuzz.

Um título como Vostok 1, uma capa com um satélite e o lettering do CD podem sugerir alguma maquinaria, mas o vosso som é muito orgânico. Como surge essa, digamos, pequena contradição?
Ao contrário do nome que começou sem significado algum, já o EP foi feito com uma certa conceitualidade, começando pelo expoente máximo do engenho e vontade humana, a conquista do espaço, sendo Yuri Gararin, nome da primeira faixa do EP, o primeiro homem no espaço, até as fraquezas mais íntimas e pessoais do Homem, acabando com a pergunta de que tendo o Homem completado tanto, porque tem estas fraquezas, de que será tudo isto real. A capa do EP engloba esta temática inicial da conquista do espaço e o título é o nome da nave espacial que levou o Yuri Gagarin ao espaço.

De que forma decorreram as sessões de gravação?
Correram muito bem pois o Duarte Feliciano (Isoundstudios, Cogweel Records, Hanging By a Name), que desde já também lhe agradeço, deu-nos o que era mais importante para nós, liberdade artística. A gravação foi relativamente rápida, durou apenas 3 dias, mas com alguma paciência por parte do Duarte, pois nós fomos gravar ainda um pouco "verdes" digamos. Mas no final da mistura e masterização, ficamos satisfeitos com o nosso primeiro registo discográfico.

Podem falar do EDP Live Bands? Em que consiste? Quem quiser votar nos Majax o que deve fazer?
O EDP Live Bands é um concurso de bandas para a atuação no NOS ALIVE'15 e atuação no Festival Bilbao BBK Live 2015. Infelizmente o período de votações para a primeira fase já acabou, mas se passarmos à próxima fase, daremos notícias pela nossa página no facebook (https://www.facebook.com/majaxmusic). Mas não iremos baixar a cabeça se não passarmos para a fase seguinte, pois da concorrência fazem parte bandas que já dão cartas no panorama musical, e para o ano há mais.

Quanto ao futuro, quais os próximos projetos que têm em vista?
Em primeiro lugar apresentar o nosso EP ao vivo e reparar o que possa ainda estar em falta, para objetivos a longo prazo, um álbum, mas ainda faltará algum tempo até chegar a altura.

A terminar – queres deixar alguma mensagem?
Em primeiro lugar, agradecer a todos os que nos têm apoiado, apoio esse que para nós é imprescindível, em segundo lugar, que apoiem mais a música ao vivo, não só a nós mas toda a boa música que ainda se faz neste país, que parecendo que não, é muita, e por vezes vem dos sítios que menos esperamos, e por último um obrigado a ti Pedro e pelo teu apoio. Obrigado.

Sem comentários: