sexta-feira, 15 de maio de 2015

Entrevista: Lancer


Quando Oskar Dronjak elogia um disco isso deve ser necessariamente bom. E, de facto, a segunda vaga da tempestade nórdica que dá pelo nome de Lancer está muito à frente do que o coletivo tinha apresentado no trabalho de estreia e desta forma coloca o seu nome na primeira linha do metal melódico contemporâneo europeu. Isak Stenvall, vocalista do coletivo, explicou-nos o que mudou desta vez.

Olá Isak! Este vosso segundo álbum é, indiscutivelmente, um passo em frente em comparação com a estreia. Sentem o mesmo?
Olá! Sim, estou realmente orgulhoso do resultado deste álbum, que soa esplêndido! O nosso primeiro álbum também é fixe, mas Second Storm está anos-luz à frente. Um dos melhores álbuns de 2015, com certeza.

Mudaram alguma coisa no vosso método de trabalho para conseguir isso?
Trabalhamos mais arduamente agora. A composição é melhor, as letras têm mais profundidade, a produção é simplesmente espetacular e todos os membros melhoraram as suas capacidades musicais e técnicas com este álbum. É como qualquer novo álbum deve ser: melhor do que o anterior.

E a mudança da Doolittle Group para a Despotz Records teve alguma influência ou não?
Bem, sim. A Doolittle manipulou a produção do nosso primeiro disco e não saiu nada como nós queríamos. Portanto, desta vez quisemos gravar o álbum sem qualquer influência externa. Fizemos o álbum exatamente como queríamos e só depois entramos em contato com uma lista de editoras com máxima prioridade tendo, finalmente, selado um acordo com a Despotz Records.

E também uma mudança de guitarrista. Per-Owe teve oportunidade de colaborar no processo de composição?
Não, ele juntou-se à banda, quando o processo de gravação já estava concluído. Assim, todas as guitarras neste álbum são tocadas pelo Fredrik e pelo nosso guitarrista anterior Peter Ellström. No entanto, Per-Owe é um grande músico e compositor, por isso vai ser emocionante iniciar o processo de composição do próximo álbum. É excitante ver até onde o nosso som poderá ir com este novo line-up.

Ele é um virtuoso da guitarra, não é?
Sim, ele é um fã de Yngwie. Ele tem a sua própria banda de tributo a Yngwie onde eu também canto e é membro dos Trident (Black Metal) e Fejd (Folk Metal). Para além do metal, ele é um grande guitarrista clássico, um dos melhores da Suécia.

De qualquer forma, a vossa base de influências mantém-se estável - Iron Maiden e Helloween. É inegável. São os vossos ídolos, certo?
Sim, adoro essas bandas. Eu vivo para este estilo de música e embora haja bastantes bandas a tocar este estilo, ainda acho que é importante manter o legado deste tipo de música ao vivo para a nossa próxima geração. Muita gente nos contactou a dizer que os Lancer os fez ouvir Power Metal de novo. No fim, é tudo sobre levantar a bandeira do metal melódico tradicional, mais uma vez.

Podemos, portanto, afirmar que o metal tradicional sueco está em boas mãos...
Sim, atualmente há tantas bandas boas ativas na Suécia. Só para citar alguns: Enforcer, Katana, Steelwing, Air Raid, Bullet e Veonity. É muito fixe fazer parte deste movimento.

Porque uma canção chamada Iwo Jima? A verdade é que vocês têm muito boa recetividade no Japão. É essa a razão?
É um lugar porreiro, como uma ilha assombrada. Quando escrevi essa canção as palavras surgiram por si e senti-me bem a fazer uma música sobre essa batalha. Não conhecia nenhuma música de metal a respeito de Iwo Jima, por isso fizemos isso, mas um facto engraçado é que os Civil War têm uma canção também chamada Iwo Jima no seu novo álbum. Felizmente, o nosso saiu primeiro. O nosso álbum de estreia foi lançado no Japão e o contrato ainda não terminou, pelo que assim que este seja lançado lá acho que também vão adorar!

Oscar Dronjak elogiou-vos muito. Um grande orgulho e uma maior responsabilidade?
É muito bom que ele goste da nossa música. Sempre fui um die-hard fã dos HammerFall desde os primeiros tempos e ele é um ícone do metal na Suécia. Estou muito grato por ter esta banda e poder ter esta oportunidade de espalhar a mensagem de Heavy Metal em todo o mundo.

Muito obrigado Isak. Foi um prazer conversar contigo. Queres acrescentar mais alguma coisa?
Obrigado a ti, também, continuem a espalhar a palavra dos Lancer e não se esqueçam de nos seguir no Facebook, Twitter e Instagram.

Sem comentários: