segunda-feira, 25 de maio de 2015

Entrevista: MarysCreek


Depois de sete anos de ausência, os heavy hard rockers MarysCreek estão de regresso com um novo EP, Incubic Twin, com cinco novos temas. Como sempre os suecos apresentam arranjos heavy rock, melodias catchy e a tradicional melancolia escandinava. Um EP que também serve como precursor de um novo longa duração que ainda deve surgir este ano, mais maduro, obscuro e pesado como nos confidenciou o guitarrista Peter Bergkvist.

Olá Peter! Obrigado pela tua disponibilidade. Passaram-se sete anos desde a vossa estreia. O que aconteceu que justifique este longo silêncio?
Olá! Muita coisa aconteceu nestes últimos sete anos. Após o lançamento de Some Kind Of Hate a editora decidiu encerrar as suas funções e fechar. Sem editora, sentimos que tínhamos de começar de novo, gravamos um álbum que nunca foi lançado porque nunca encontramos um rótulo adequado para trabalhar. Também tivemos algumas mudanças de formação ao longo dos anos, passando de um guitarrista para dois. Temos trabalhado constantemente para aperfeiçoar o nosso som dentro e fora do palco.

E agora é hora de recuperar o tempo perdido... Para já um EP de cinco músicas que tem recebido ótimas críticas. Naturalmente satisfeitos, mas estavam à espera de tal?
Estamos entusiasmados com todas as excelentes críticas que vamos recebendo. Não esperávamos, mas tínhamos algumas esperanças.

E também um longa duração em preparação. Será uma continuação natural deste EP?
Nós nunca deixamos de escrever canções, pelo que o processo de escrita para o nosso próximo álbum tenha vindo em progresso durante um longo período de tempo. E sim, será uma continuação a partir de onde Incybic Twin terminou.

Em que fase está esse novo álbum? Já há datas disponíveis para lançamento?
Está na fase de gravação. Jonas está a gravar as suas partes de guitarra e Mats está a gravar os vocais simultaneamente. Assim que tenhamos isso pronto vamos enviar nossa música para Stefan Glaumann (Rammstein, Within Temptation etc.) para misturar o álbum. Ainda não há nenhuma data definida.

Como descreverias a vossa evolução desde a estreia em 2007?
Evoluímos muito. Da formação original apenas estão Mats e Stefan e com três músicos novos és obrigado a evoluir. A nossa música tornou-se mais obscura e pesada. Ao longo destes sete anos temos encontrado novas fontes de inspiração e vemos a música de uma forma diferente do que fizemos quando gravamos Some Kind Of Hate.

Esta coleção de cinco músicas do EP são todas novas?
Sim.

E no longa duração serão também músicas novas?
O próximo álbum terá doze músicas. Onze delas são novas e uma é retirado do Incubic Twin mas é regravada.

Para além da gravação do novo álbum, o que têm previsto para os próximos tempos?
Agora o nosso foco é no novo álbum. Quando estiver pronto, esperamos começar uma tournée de apoio a esse álbum.

Muito obrigado. Queres acrescentar mais alguma coisa?
Fiquem com os vossos olhos e ouvidos abertos para o novo álbum que vai ver a luz dentro de alguns meses... rock on!

Sem comentários: