quarta-feira, 6 de maio de 2015

Entrevista: Wake The Nations


Risto Tuominen é conhecido por ser o guitarrista dos Human Temple mas nos Wake The Nations assumiu a totalidade do controlo de um processo que, de forma individual, já tinha começado há uns anos. Sign Of Heart é o resultado final do seu trabalho e das suas colaborações com alguns músicos finlandeses e outros dispersos pelo mundo. Numa conversa que, obrigatoriamente, também passou pelos Human Temple, Risto explicou-nos como se desenvolveu todo este processo.

Olá Risto! Antes de mais, parabéns pelo vosso sucesso nos tops! Esperavam isso?
Muito obrigado! Tenho que admitir que foi uma grande e agradável surpresa para nós. Estamos muito agradecidos a todos os nossos fãs. É bom saber que atualmente ainda há alguém que compra CD’s. Há tantos downloads ilegais de músicas que não percebem que tiram o pão da boca aos músicos.

Quando nasceram os Wake The Nations? Podes falar-nos um pouco da vossa história até agora?
Ao mesmo tempo que gravávamos as músicas. Inicialmente a ideia era gravar músicas já escritas apenas para mim, com boa qualidade. Isso era para ser feito no estúdio em casa do meu amigo Sami Haapala, mas as coisas foram ficando cada vez mais ambiciosas. Depois tive a ideia de Wake The Nations como uma banda projeto. Há 6-7 anos que venho a escrever algumas canções. A ideia do meu próprio disco a solo estava a fervilhar, mas devido a tempos agitados, foi ficando arquivada na minha gaveta.

Podemos considerar este o teu projeto mais pessoal até agora?
Sim. Algumas canções foram escritas a partir das minhas experiências de vida. Claro que existem algumas histórias de ficção, mas por todo o esforço que pus na realização deste álbum, que sim, este é pessoal.

Já tens experiência de gravação com algumas bandas finlandesas, das quais Human Temple seja a mais conhecida. De que forma Wake The Nations é diferente?
Tive o controlo total na escrita e gravação. Fiz as coisas à minha maneira.

Em Sign Of Heart apresentas um line-up permanente adicionado de alguns convidados internacionais. Como se proporcionaram essas colaborações?
Quando andava à procura um cantor para este projeto, deixei anúncios em alguns sites (LinkedIn, Jaime Vendera’s Vocal Academy Forum etc.), e foi lá que conheci Dado Topic, Estef Martinez, Alan Jackson e Oz Rivera. Também enviei um monte de e-mails para músicos finlandeses com quem queria trabalhar. E foi fácil trabalhar com eles, porque todos tiveram a oportunidade de gravar as suas partes em casa.

Já têm dois vídeos filmados a partir deste álbum, não é? This Feeling e Fairytale Romance foram as escolhas. Algum motivo em particular?
Simplesmente adoramos essas músicas e pensamos que eram as melhores escolhas para vídeos.

Considerando o facto de que usaste diferentes vocalistas, pergunto-te como será em apresentações ao vivo?
Na festa de lançamento do álbum, tivemos o privilégio de ter três cantores, Janne Hurme, Taage Laiho e Krister Stenbom para nos ajudar. Mas quando estamos em atuações normais usamos aquele que desses três estiver disponível. Mas estamos esperançados em encontrar um cantor permanente.

Já aqui falamos sobre os Human Temple. Ainda és o seu guitarrista, certo? Há planos para um novo álbum?
Sim, sou. E sim Human Temple tem planos para um novo álbum. Temos músicas prontas e agora estamos a trabalhar nos arranjos. Espero que possamos ir para estúdio este ano. Também me juntei com Michael Eden dos Eden’s Curse (versão americana). Em outubro de 2011 Michael Eden deixou os músicos estrangeiros (versão europeia de EC) e começou uma procura mundial para novos membros para uma versão americana de Eden’s Curse. Já compus algumas músicas para essa banda e espero que este ano também possamos gravar novo álbum. Como vês, tenho muitos projetos em andamento.

Sei que recentemente os HT deram um concerto raro. Como foi?
Explosivo! Tivemos um grande momento e tocamos muito bem. Estou desejoso de poder fazer mais alguns.

Aliás, Love Leads The Way costumava ser tocada pelos Human Temple. Agora aparece no teu álbum. Foi fácil de convencer os outros membros?
Na verdade, o nosso teclista Jori (também conhecido dos Human Temple) sugeriu essa e Seas Of Emptiness para gravarmos. E apaixonamo-nos imediatamente por essas músicas. Mas sim, foi fácil convencer os outros.

Há planos para mais álbuns dos Wake The Nations?
Claro, sem dúvida! Temos algumas músicas novas à espera do álbum. Se tudo correr bem, vamos gravá-lo no próximo ano. Mas temos que encontrar primeiro um vocalista permanente para o próximo álbum. Não importa de onde ele/ela seja. Vamos manter os dedos cruzados para que tudo corra bem.

Muito obrigado Risto. Foi um prazer fazer esta entrevista. Queres acrescentar mais alguma coisa?
Obrigado por nos dares esta oportunidade! Gostaria de agradecer à minha esposa Sini por me apoiar neste projeto. E aos meus companheiros de banda Janne Granfors, Jori Tojander e Tuomas Pelli por tornarem este álbum uma realidade. E também todos os artistas/músicos que participaram como convidados neste disco. E os maiores agradecimentos vão para todos os nossos fãs que compraram o nosso álbum! Esse é o combustível que mantém os nossos motores musicais a trabalhar. Sigam-nos em www.facebook.com/WakeTheNations e www.wakethenations.com.

Sem comentários: