quinta-feira, 14 de maio de 2015

Review: Tape Junk (Tape Junk)

Tape Junk (Tape Junk)
(2015, Pataca Discos)
(5.3/6)

Se The Good & The Mean havia sido praticamente o projeto de João Correia, Tape Junk, acaba por ser um trabalho mais coletivo com a contribuição de todos os Junkers. Isso sem invalidar que 4 temas desta rodela nunca tinham sido tocados nem ao vivo nem em ensaios antes de serem gravados. Será problemático? Talvez não, mas… Vejamos, Tape Junk, o álbum, tem 9 temas, dos quais cinco têm menos de 3 minutos. E a sensação que fica é que os mais pequenos têm um potencial para crescer que não terá sido totalmente explorado. E esses mais pequenos são os quatro nunca ensaiados? Não, com exceção de Joyful Song! Portanto, pelo que se percebe até são essas quase-improvisações que têm um melhor desempenho neste disco. Um disco de rock, blues e folk americano feito em Portugal. Ora mais adocicado ora mais cru, ora mais sujo ora mais limpo. Mas sempre com a mesma entrega e atitude, sempre com a mesma vontade de por em disco toda a energia que os lisboetas apresentam em palco. E com destaques acentuados para Substance (tema de duas faces: rockeiro e duro a abrir; suave e doce com enorme musicalidade a partir do meio); Scratch And Bite (mais pesadinho, muito cru, numa linha mais punk); Six String And The Booze (calma, assente nas roots americanas, muito orgânica) e Thumb Sucking Generation (com um surpreendente final com um estonteante solo de guitarra sobre ritmos latinos e com a Valéria – fica para descobrir quem é – a apresentar os créditos do disco em… italiano!). E uma coisa é certa, Tape Junk, enquanto resultado da partilha de toda a banda é um disco menos centralizado e mais abrangente e que consegue trespassar toda aquela energia e feeling do coletivo.

Tracklist:
1.      Substance
2.      Bag Of Bones
3.      Scratch And Bite
4.      Six String And The Booze
5.      Joyful Song
6.      Me And My Gin
7.      All My Money Ran Out
8.      The Left Side Of The Bed
9.      Thumb Sucking Generation

Line-up:
João Correia - voz e guitarras
Nuno Lucas – baixo
António Vasconcelos Dias – bateria
Frankie Chavez - guitarras e slide guitar

Internet:

Sem comentários: