segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Review: Vibe Station (Scott Henderson)

Vibe Station (Scott Henderson)
(2015, Independente)
(5.6/6)

Conhecido pelas estonteantes criações nos Tribal Tech a levar o jazz de fusão a patamares inimagináveis de loucura positiva e virtuosismo, Scott Henderson está de regresso com mais um disco em nome próprio. Vibe Station é apresentado como o mais ambicioso projeto do guitarrista americano e, de facto, este conjunto de 9 canções instrumentais tem tudo pelo qual Henderson é conhecido e muito mais. Para este trabalho adotou a postura do menos é mais, isto é limitou-se a juntar a sua guitarra a um baixo e a uma bateria. A simplicidade de instrumentos não é, todavia, indicadora da riqueza das instrumentações. Ritmos excitantes e verdadeiramente empolgantes, bem dentro das estruturas jazz, com a guitarra em permanente modo solo em devaneios de improvisação com elevado grau de técnica e virtuosismo é o que aqui se oferece. Um banquete para os estudiosos de estruturas complexas e uma delícia para os amantes dos ilustres executantes. Aqui e ali surge alguma estrutura blues, em Calhoun e Chelsea Bridge acalma a energia e torna-se mais intimista e contemplativo, em Dew Wut acrescenta um pouco mais de distorção, projetando algo como um hard rock jazzístico. No entanto, são os ritmos e solos verdadeiramente incríveis quem aqui predomina, com todos os músicos a brilharem a um alto nível.

Tracklist:
1.      Church Of Xotic Dance
2.      Sphinx
3.      Vibe Station
4.      Manic Carpet
5.      Calhoun
6.      The Covered Head
7.      Festival Of Ghosts
8.      Dew Wut?
9.      Chelsea Bridge

Line-Up:
Scott Henderson – guitarras
Travis Carlton – baixo
Alan Hertz – bateria

Internet:
Website   
Youtube    

Sem comentários: