sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Entrevista: Red Morris


Às vezes há assim surpresas. Surgindo do nada, um nome completamente desconhecido assina um portentoso álbum de rock instrumental. Maurizio Parisi tem ocupado o seu tempo em cover bands e, finalmente, realizou o seu desejo de gravar um disco. Um disco que se chama Lady Rose e que, para Via Nocturna é um dos melhores do ano. Fomos conhecer melhor Maurizio Parisi que é, ao mesmo tempo, Red Morris.

Olá Maurizio! Como estás? Obrigado pela disponibilidade e parabéns pelo teu excelente álbum. Podes apresentar-te a ti e à tua banda aos rockers portugueses?
Olá Pedro! Prazer em conhecer-te! Eu estou obrigado, e tu? Algo sobre mim? Bem, sou Red Morris, um homem simples que depois de algum trabalho duro, apoiado com outros amigos e músicos, finalmente atingiu seu objetivo desejado: gravar as suas ideias num álbum! A minha banda efetiva é a mesma que a do álbum, excepto o baterista: Renato Mombelli (baixo), Beppe Premi (teclados) e o novo baterista Paolo Viola.

E quando Maurizio Parisi se transforma em Red Morris?
Depois do meu período em bandas de covers, decidi desenvolver as minhas ideias musicais por mim próprio, pelo que mudei para Red Morris, para me diferenciar do coverman Maurizio.

A ideia de gravares um disco já é antiga. Porquê só agora?
Quando era jovem, há alguns anos (...), não tinha recursos suficientes (na década de 80 foi um pouco difícil gravar um CD e seguir em frente com os meus projetos). Somente nos últimos anos encontrei pessoas interessadas nas minhas ideias e em me ajudar a concretiza-las.

E porque apenas instrumental?
Era essa a minha ideia de me expressar com meu instrumento, sem a "ajuda" de letras.

E este é o álbum que sempre quiseste fazer?
Este álbum representa o primeiro passo de (espero!) muitos outros! Por enquanto, apenas te posso dizer que estou a trabalhar em novas músicas!

Como foi a selecção dos músicos que tocam contigo
Já conhecia o baterista, portanto fomos procurar um teclista e baixista; e a segunda guitarra estava em minha casa... é o meu filho Alberto!

Quais são as tuas principais influências quer como guitarrista, quer como compositor?
Gary Moore, Santana, Thin Lizzy e muito mais guitar heroes dos anos 80.

Para além deste trabalho em teu nome, estás envolvido em mais algum projeto?
Não, senhor, não estou.

Já tiveram oportunidade de apresentar este álbum ao vivo?
Sim, já tivemos algumas possibilidades de promover Lady Rose em palco, aqui na minha cidade.

Como vês o futuro para Red Morris? Que projetos tens em mente?
Se a sorte estiver do meu lado, acho que vai ser ótimo! Honestamente vejo o meu futuro no estrangeiro, porque na Itália é muito difícil promover um projeto quando ainda não se é um "grande nome" ou se não tens os "conhecimentos corretos" de pessoas como produtores ou editoras. Neste momento, estamos a desfrutar de Lady Rose! Para o novo álbum já tenho ideias, mas vamos ver.

Muito obrigado Maurizio. Queres acrescentar mais alguma coisa?
A música é parte de mim, portanto o que posso dizer é que certamente que nunca irei parar com ela!

Sem comentários: