quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Review: MAP (Moraz Alban Project)

MAP (Moraz Alban Project)
(2015, Independente)
(5.1/6)

Patrick Moraz é teclista. Greg Alban é baterista. O resultado da junção dos dois é um projeto – Moraz Alban Project – que resulta num disco – MAP - onde teclados e bateria unem esforços em composições de prog rock, space rock, algum experimentalismo e algumas estruturas jazzisticas. Os melhores momentos são conseguidos quando, para além destes dois músicos, alguns convidados surgem. Acontece na soberba Canyon Afternoon com Dave VanSuch a elevar o seu saxofone à categoria da imortalidade. Acontece noutros temas (Strictly Organic, The Real Feel e Alien Intelligence) onde baixistas como John Avila e Patrick Ferrier ajudam a preencher – enriquecendo - a dupla sonoridade teclas/bateria. A faixa cinco é emblemática e o seu título diz tudo: The Drums Also Solo. De facto, é aqui que Moraz abre espaço para Alban mostrar, sozinho, o que vale, numa faixa que tanto tem de canção como de apenas solo de bateria. O final do disco, infelizmente, é bem menos interessante. Mais tribal em Mumbai-Mantra e mais espacial e atmosférico em Alien Species. A temática alienígena de resto aparece bastante presente neste disco que é diferente, arrojado e ele próprio bastante virado para o cosmos e com uma visão diferente do conceito de canção.

Tracklist:
1.      Jungle Aliens
2.      Strictly Organic
3.      Canyon Afternoon
4.      Jazz In The Night
5.      The Drums Also Solo
6.      The real Feel
7.      Alien Intelligence
8.      Mumbai-Mantra
9.      Alien Species

Line-Up:
Patrick Moraz – teclados
Greg Alban – bateria
Lenny Castro – percussão
John Avila – baixo
Dave VanSuch – saxofone
Patrick Ferrier – baixo
Matt Malley – cítara

Internet:

Sem comentários: