domingo, 7 de fevereiro de 2016

INFO: Francisco Silva regressa com novo álbum do projeto Old Jerusalem

Depois de um período de interregno desde o último álbum homónimo editado em 2011, Old Jerusalem regressa às edições discográficas com A Rose Is A Rose Is A Rose, o sexto trabalho de longa duração do projeto. Por contraponto ao anterior Old Jerusalem (PAD, 2011), integralmente composto e interpretado por Francisco Silva, A Rose Is A Rose Is A Rose retoma a colaboração com outros músicos, destacando-se a este título o trabalho desenvolvido com Filipe Melo, responsável pelo piano e arranjos de cordas do álbum e um verdadeiro e empenhado cúmplice na delineação do rumo estético do trabalho. De facto, quase poderia afirmar-se que na sua génese as canções de A Rose Is Rose Is A Rose serviram como “pretexto” para esta colaboração, que começou a delinear-se logo no momento em que os dois músicos se conheceram, num concerto de homenagem a Bernardo Sassetti em Lisboa. Juntando à prestação de fiéis colaboradores habituais (como o produtor Paulo Miranda e o baterista Pedro Oliveira) os contributos de músicos e técnicos que trabalham pela primeira vez em disco com o projeto (o já mencionado Filipe Melo no piano, Nelson Cascais no contrabaixo, as colaborações pontuais de Petra Pais e Luís Ferreira, dos Nobody’s Bizness, na voz e guitarras, respetivamente, o quarteto de cordas de Ana Pereira, Ana Filipa Serrão, Joana Cipriano e Ana Cláudia Serrão), A Rose Is A Rose Is A Rose apresenta uma versão de Old Jerusalem mais expansiva, ainda que sempre centrada na atenção às canções e à forma mais eficaz e agradável de as comunicar ao ouvinte. O projeto Old Jerusalem iniciou atividade em meados de 2001, tendo gravado um registo de apresentação em dezembro desse ano em conjunto com os Alla Polacca (a demo Old & Alla). Este registo de estreia marca também o início da atividade pública de Francisco Silva – o mentor da banda - enquanto escritor de canções. Depois de alguns concertos e de participações em várias compilações, Old Jerusalem lançou em janeiro de 2003 o álbum de estreia, April, produzido por Paulo Miranda e editado pela Bor Land. Desde aí Old Jerusalem tem mantido um nível de atividade regular, entre concertos, edição de novos registos – Twice The Humbling Sun (2005), o split-EP Splitted (2006) em conjunto com Puny e Bruno Duarte, The Temple Bell (2007), Two Birds Blessing (2009) e o já citado álbum homónimo Old Jerusalem (2011) - e colaborações com outros artistas, não só como músico/intérprete (The Unplayable Sofa Guitar, Green Machine, The Neon Road, entre outros), mas também como autor, tendo desenvolvido a este título trabalho com artistas tão diversos quanto Carlos Bica, Bernardo Sassetti, Alla Polacca, Mandrágora ou Kubik.

Tracklist:
1.      A Charm
2.      Airs Of Proibity
3.      A Rose Is A Rose Is A Rose
4.      All The While
5.      One For Dusty Light
6.      Florentine Course
7.      Summer Storm
8.      Tribal Joys
9.      Dayspring
10.  Twenties

Line-up:
Francisco Silva – guitarras, vozes, sintetizador, moog, bandolim, caixa de ritmos, percussão
Filipe Melo – piano
Nelson Cascais – contrabaixo
Pedro Oliveira – bateria
Luís Ferreira – guitarras
Petra Pais – vocais
Ana Pereira – violino
Ana Filipa Serrão – violino
Joana Cipriano – viola
Ana Cláudia Serrão - violoncelo

Sem comentários: