sexta-feira, 15 de abril de 2016

Entrevista: InLegend



Depois do sensacional trabalho Stones At Goliath, Bastian Emig ainda tinha alguns temas gravados que não couberam nesse álbum. Em boa hora teve a ideia de os ir libertando, de forma digital, e gratuitamente para os seus fãs. A posterior junção destes temas no EP, Goliath’s End, foi o passo natural. Por isso, face à grandiosidade, excelência e criatividade do projeto, voltamos a conversar com Bastian Emig para perceber o que o motivou a fazer este lançamento.

Olá Bastian! Como estás? Depois de um muito bem-sucedido Stones At Goliath, que propósitos estiveram na origem do lançamento deste novo EP?
Olá! Obrigado – Stones At Goliath tinha mais músicas que aquelas que conseguimos lançar num único CD. Foi uma decisão difícil escolher que músicas apareceriam no CD e as que ficariam de fora. Com o lançamento deste EP no final do ano, cumprimos uma era e demos vida às restantes músicas.

Portanto, é uma continuação ou o finalizar do que já tinha sido feito antes?
Diria que é uma boa maneira de finalizar um período criativo em que nós tentamos muitas coisas diferentes. Especialmente, escrever e produzir estas músicas foi muito divertido.

E estas canções são novas ou vêm das sessões de gravação de Stones At Goliath?
As músicas do EP foram gravadas ao mesmo tempo que as presentes em Stones At Goliath. É por isso que estávamos interessados ​​em lança-las não muito tempo depois do CD físico e de forma gratuita, é claro. O que compensa é a vontade de os fãs ouvirem estas músicas e não o dinheiro.

Estas canções foram sendo lançadas nas vossas redes sociais. Assim, puderem ir vendo a reacção dos fãs. Naturalmente reagiram bem…
Oferecer a canção diretamente no nosso site foi principalmente porque eram grátis e isso foi concebido como um pequeno presente de Natal pelo grande apoio dos nossos fãs. O seu feedback foi um extra muito bom e muito positivo.

Tiveram oportunidade de apresentar o vosso Hand-hammered piano craft ao vivo?
Tivemos alguns espectáculos depois do lançamento de Stones At Goliath, um deles, mesmo com um grande coro, instrumentos clássicos reais e muitos extras. Acho que as pessoas apreciam o nosso som ainda mais quando o experienciam ao vivo.

E em que outros projetos ou quais são os próximos passos que tens projetados no futuro?
A música nunca pára, mas muda. Portanto, depende das pessoas com quem trabalhas. Veremos.

Muito obrigado Bastian! As últimas palavras são tuas...
Obrigado a todos que nos ajudaram a lançar esta aventura musical - especialmente durante a nossa campanha de crowdfunding que foi um sucesso inacreditável. Estou certo que criamos algo especial que nunca vai perder o seu brilho, o mesmo vale para os nossos fãs.

Sem comentários: