quarta-feira, 20 de abril de 2016

Entrevista: The Phoenix

Quatro senhoras italianas editadas pela Demon Doll Records? Só pode ser hard rock da melhor escola. E é, efectivamente. Fixem este nome – The Phoenix. O EP de estreia sabe a pouco mas as ladys já estão a preparar um longa duração. Pelo menos assim nos confidenciou Lena McFrison, a vocalista e guitarrista do quarteto.

Olá Lena, tudo bem? Quem são as The Phoenix e como tem sido a vossa sua história até agora?
Olá! The Phoenix é uma banda de hard rock e heavy composta por 4 raparigas de Rimini (Itália) e San Marino, provenientes de diferentes origens musicais, e que mistura o lado hard rock com influências punk e metal para criar um som fresco e novo. A banda foi fundada em 2011 pela baterista Giuly, e alguns meses depois cheguei eu. Alice e Luna tocam nas The Phoenix há dois anos e damo-nos bem. É uma alegria estar numa banda onde todos os elementos são do sexo feminino, sentimo-nos como irmãs!

Falando um pouco do vosso EP de estreia, como decorreram as sessões de criação e gravação?
Estamos muito orgulhosas do nosso EP. Todas as faixas foram compostas durante vários ensaios e cada uma de nós contribuiu com ideias diferentes passo a passo para a composição musical, enquanto eu fiquei encarregada das letras. As sessões de gravação foram engraçadas mas difíceis ao mesmo tempo! Foi um prazer trabalhar com um especialista, como Roberto Priori e o resultado valeu bem a pena!

Relevante é o facto desta estreia ter sido lançada por uma editora mítica – a Demon Doll Records. Como se proporcionou esse contacto?
Decidimos entrar em contacto com eles porque conhecíamos o trabalho de um grupo de amigos que foi produzido por eles. A Demon Doll demonstrou um grande interesse na nossa música e decidiu trabalhar connosco.

Já têm algum vídeo retirado deste EP?
Ainda não, mas estamos a planear trabalhar num, pelo que deverás ouvir algo sobre isso muito em breve!

Na verdade estão a ter um grande impacto na cena hard rock italiana e isso é visível nas diversas oportunidades para tocar ao vivo. O palco é, realmente, o vosso habitat natural...
Claro que é. Apesar dos nossos inúmeros espectáculos ao vivo no passado, continuamos a sentir a emoção de subir a palco e melhorarmos, mas o entusiasmo do público e amigos a apoiar-nos e a cantar todos juntos é algo que não pode ser explicado.

Para além disso, o feedback tem sido bastante bom, creio eu. Dá-vos mais força ou responsabilidade? Prontas para essa pressão?
Sim, quanto mais popular te tornas (mesmo a um nível local), mais tens que melhorar e estar pronto para as expetativas dos fãs.

Com o nível que vocês demonstram quatro canções é muito pouco! Para quando algo maior para ouvir? O que têm agendado para os próximos tempos?
É claro que quatro músicas é muito pouco, mas isto é apenas o começo. Já estamos a compor novas canções e o próximo passo será um longa duração!

Muito obrigado, Lena!
Obrigado pelo teu tempo e interesse! Rock on!

Sem comentários: