quarta-feira, 6 de abril de 2016

Entrevista: Urban Tales

Já passaram alguns anos mas, certamente, todos se recordarão ainda de um dos mais notáveis nomes do cenário rock/metal de contornos góticos e melancólicos que dava pelo nome de Urban Tales. Pois bem, Marcos César, mentor desse projeto, está de regresso, com um novo rumo, numa nova casa, sozinho (pelo menos para já) e num registo diferente. O processo ainda está numa fase muito embrionária, mas o primeiro single The Name Of Love sai já no próximo dia 8 deste mês. Por isso, voltamos a falar com Marcos César…

Olá Marcos! Bem-vindo de volta! O que se passou lá atrás com os Urban Tales? Depois de dois discos de grande categoria… eclipsaram-se…
Foi  mais, dar um tempo. Depois do segundo álbum,  em termos musicais, sentia que precisava de fazer algo novo, de reinventar os Urban Tales, mas ao mesmo tempo não sabia exatamente que rumo seguir. Levou algum tempo, mas lá encontrei um novo rumo...

E agora regressas. Como está o teu estado de espirito para reiniciares este projeto?
É um misto de emoções, entusiasmo porque é uma nova etapa; um novo tipo de som;  depois receoso por saber que provavelmente vai dececionar alguns fans que gostavam incondicionalmente dos Urban Tales como uma banda de rock metal gótico. Já não tem nada a ver com o som antigo, ou talvez tenha...Não sei, cada um poderá ter uma opinião diferente.

Sei que regressas como uma nova editora. As coisas não correram lá muito bem com as anteriores, pois não?
Depende da perspetiva. Com a Burning Star tivemos distribuição mundial, recebi emails da Austrália, Holanda, Estados Unidos congratulando o primeiro álbum; com o segundo  e com 2 contratos internacionais na mesa que se eclipsaram devido a timings, decidimos pela melhor via, que foi com a Compact Records, não tinha grandes ilusões sobre o que poderia ser feito... Depois disso foi começar de novo e agora com a Farol a coisa parece que corre bem, é uma equipa boa.

E com que motivações reergueste os Urban Tales?
A de fazer música. Foi desde sempre o que mais prazer me deu fazer... A motivação de me reinventar também é algo que puxa por mim...

 E quem te acompanha agora em termos musicais?
Sendo os Urban Tales um projeto e não banda, neste momento, é algo que poderei sempre  pensar mais a frente, não há uma banda a acompanhar, mas tenho músicos com quem sei que posso contar.

Para já um single cujo teaser não mostra muito. De qualquer forma, sei que tens alguns convidados a colaborar neste single, certo? Quem são e como se proporcionou esse contacto?
Sim, os atores Erik Williams e Tacy Burr, deram uma perninha na música dando um outro carisma à história da música.

E aparentemente, regressas de forma mais calma e melódica. Confirma-se?
Para quem já ouviu várias músicas, diz que a essência dos UT está toda lá. Mas já não é metal nem gótico na sua essência... Talvez mais calmo...

E depois do single… para quando um novo álbum?
Pois, a ver como as coisas correm, pode ser que a coisa aconteça rápido. Não tenho uma data para tal.

E quanto a ir para a estrada, já tens alguma coisa delineada?
Para já não.

Muito obrigado, Marcos. Queres acrescentar mais alguma coisa?
Obrigado pela oportunidade e continuação do bom trabalho na divulgação da música portuguesa!!!

Sem comentários: