segunda-feira, 23 de maio de 2016

Entrevista: Epic


Os Epic são a nova banda nascida em torno da ponderosa vocalista Tanya Rizkala sendo que a primeira aventura musical sob a forma de Like A Phoenix foi apresentada no final do ano passado. O coletivo foi descoberto pela Escape Music que remasterizou o álbum e o lançou novamente. A simpática vocalista falou a Via Nocturna desta sua nova fase artística.

Olá Tanya, como estás? Podes apresentar os Epic aos rockers portugueses?
Epic é uma banda de rock com voz feminina. Tocamos Melodic Heavy Classic Rock.

Canadianos, americanos e libaneses… Como se conheceram e originaram esta banda?
Mario, o guitarrista e principal compositor da banda Epic e eu somos ambos canadianos, Souheil, o nosso baterista é americano mas todos temos origens libanesas, assim como o nosso baixista. E estamos orgulho da nossa fusão multicultural. É enriquecedor!

Porque razão, a escolha de um título como Like A Phoenix para o álbum de estreia?
Phoenix é a ave que renasce das cinzas. O que queremos dizer com Like A Phoenix é o voltar do Classic Rock, que tem estado ausente há muitos anos. É principalmente o retorno dos gigantes do rock com novos álbuns incríveis e como eles prepararam o caminho para nós, a geração mais jovem do rock clássico, e como eles nos deram a oportunidade de compartilhar a nossa música com o mundo de hoje. Like A Phoenix é também uma mensagem pessoal de amor, esperança e força para aqueles que realmente precisam, para continuarem a fazer o que mais amam, para enfrentar as dificuldades da vida com positividade e continuar a lutar sem se importarem com as dificuldades que às vezes surgem. Irás notar que as letras são todas sobre aprender a lutar e a caminhar, independentemente do número de vezes que a vida te derrube.

É assustador ter um disco de estreia logo lançado pela Escape Music?
Não é assustador, muito pelo contrário, é emocionante! Isso dá-nos a oportunidade, como artistas de rock, para mostrar o nosso talento e paixão e poder acrescentar algo mais. Estamos muito orgulhosos de fazer parte da família Escape Music.

Mas este álbum já havia sido lançado há algum tempo antes, não foi? Esta versão é exatamente a mesma?
Lançamos o álbum em dezembro passado. Assinamos em fevereiro. E o álbum foi relançado pela nossa estimada editora Escape Music a 22 de abril. A nossa versão tinha sido masterizada na Itália e o álbum foi remasterizado pela Escape Music no Reino Unido. Para além disso, o álbum é o mesmo.

Like A Phoenix não é um álbum fácil de descrever, porque é muito diversificado. Como o descreverias?
Like A Phoenix tem as músicas de rock pesado, músicas de rock radio friendly, power ballads nervosas e baladas acústicas. Varia do suave ao Heavy Rock, tudo sob o género Melodic Heavy/Classic Rock.

Sendo tão diversas, são fáceis de perceber diferentes influências. Como as misturam no processo de composição?
As nossas principais influências variam de Whitesnake, Van Halen, AC/DC, Heart, Aerosmith, Mr.Big, Journey, para citar alguns. Cada banda influenciou-nos de forma diferente, mas temos o nosso próprio e criativo som Rock.

Como foi a experiência em estúdio?
O tempo em estúdio é sempre um tempo de diversão entre os membros da banda, com piadas, risadas, embora tenha a certeza que muitos músicos também concordariam quando digo que também pode ser stressante porque vais quer que o teu álbum seja grande e quando o gravas, é um tiro de uma só vez. Não é como uma tournée onde começas a soar diferente a cada noite... Trabalhas sob mais pressão durante o tempo de estúdio. No final do dia somos abençoados para ser músicos e fazermos o que fazemos melhor, o que nós amamos e pelo qual estamos apaixonados: música!

Próximos passos e projetos em que estejam/venham a estar envolvidos no futuro... O que tens para nos dizer?
O próximo passo é tocar ao vivo, fazer uma tour e participar em tantos festivais de rock quanto possível. Na mesma nota, esperamos ter a oportunidade de tocar em Portugal em breve! Iremos para a Alemanha e Holanda no início de julho. As datas seguintes dos festivais serão anunciadas no devido tempo.

Mais uma vez muito obrigado Tanya! Queres acrescentar mais alguma coisa?
Só desejaria agradecer-te a ti, Pedro e ao Via Nocturna pela introdução de minha banda Epic para as pessoas simpáticas de Portugal! Gostaria de agradecer ao Khalil e ao Barrie, da Escape Music, por ter dado a oportunidade de colocar os Epic no mapa. Esperamos encontrar-te em breve a rockar no teu belo país. Obrigado ao Via Nocturna por manter o Rock ‘n’ Roll vivo!

Sem comentários: