terça-feira, 17 de maio de 2016

Review: Evergloom (La Chanson Noire)

Evergloom (La Chanson Noire)
(2016, Chaosphere Recordings/Raging Planet/Raising Legends/Necrosymphonic Entertainment)
(5.2/6)

O pulsar do coração na abertura Pródiga Primavera prova (se é que havia necessidade disso) que os La Chanson Noire continuam bem vivos, independentemente da notícia anunciada há uns tempos que Charles Sangnoir tinha posto um ponto final no projeto após o terceiro disco. Não o fez e, sinceramente, ainda bem, porque Evergloom é o disco mais bem conseguido do projeto. Intenso e numa luxuosa edição onde se inclui um baralho de tarot a celebrar quase uma década de canção negra. Entre dois momentos spoken word em português – a abertura anteriormente referida e o encerramento com Amante Marítima - com poemas de inegável classe, o disco desenvolve-se em diferentes fases de uma negritude bela e passagens sofridas. E sempre com uma abordagem lírica excecional, variando, como habitual, entre o inglês e o português, mas eventualmente menos provocante e decadente do que anteriormente. As linhas de piano são o elemento mais marcante, conduzindo os temas por caminhos tortuosos onde a bateria acaba por introduzir as dinâmicas necessárias. Mas, à medida que Evergloom avança, outras ambiências surgem como a introdução de elementos mais experimentais e até de world music (Drama Queen); a entrada em cena do órgão (a substituir o piano) em Hymn To Hashish; o surgimento do poder do rock nas distorcidas Família de Chantilly e Come Collapse, e, principalmente, a viagem à portugalidade quer na temática lírica (mar/destino/fatalidade) quer na inclusão de guitarra portuguesa em Marinheiro de Aguardente e mesmo no sentido de canção de intervenção em O Uivo. Evergloom acaba por ser, na nossa opinião, o atingir do expoente máximo no trajeto de um projeto único.

Tracklist:
1.      Pródiga Primavera
2.      Lonely Leader
3.      The Dead
4.      Evergloom
5.      Drama Queen
6.      Hymn To Hashish
7.      Família de Chantilly
8.      Marinheiro de Aguardente
9.      The Widow’s Son
10.  O Uivo
11.  Come Collapse
12.  Amante Marítima

Line-Up:
Charles Sangnoir – vocais, piano, guitarras
Ramon Galarza – bateria
Diogo Beleza – Bateria
Ana Ferrão – spoken word em #1 e #12
Patrícia Andrade – backing vocals em #5
M-Pex – guitarra portuguesa em #8
Phil Mendrix – solo de guitarra em #11

Internet:
Website   
Facebook   
Twitter   
Youtube   

Sem comentários: