domingo, 5 de junho de 2016

INFO: Crematory lançam Monument (o)

A comemorar o seu 25º aniversário, os líderes do movimento gothic metal mundial Crematory, atingem o seu décimo terceiro álbum de estúdio intitulado Monument. Este está nas lojas desde 15 de abril numa edição Steamhammer/SPV e marca o regresso da banda de Mannheim à dureza metálica. Infinitamente mais forte que o seu antecessor, Antiserum (2014), as doze faixas de Monument assentam na brutalidade dos riffs, na dureza da bateria, em ganchos de teclados sinistros e uma mistura de guturais e vocais limpos, umas vezes em Alemão outras em Inglês. A preparação deste álbum até começou com um contratempo, uma vez que Matthias Hechler, membro da banda há 17 anos, guitarrista e responsável pelos vocais limpos, deixou a banda por motivos pessoais. Após esta decisão, os Crematory chamaram dois novos membros: Tosse Basler (Scapegoat, Avalanche) para a guitarra ritmo e vocais limpos e Rolf Munkes como novo guitarrista solo. Ambos trouxeram uma lufada de ar fresco e inspiraram a criação de um disco com muito mais poder. O resultado é uma obra de gothic metal carregado de energia, com doze temas com diferentes graus de peso, incluindo guitarras duplas e solos de guitarra. O tema de abertura Misunderstood, escolha para primeiro vídeo, é provavelmente a faixa mais metálica da história do grupo – uma abertura perfeita, não só para o disco, como para os próximos shows, referem os músicos. O contraste é feito com a balada Save Me que apresenta um toque orquestral. Noutro aspeto, os Crematory voltaram a trabalhar (é já a terceira vez) com o artista húngaro Kristian Bonifer na criação de uma capa monumental, a fazer jus ao título do disco.

Tracklisting:
1. Misunderstood
2. Haus mit Garten
3. Die So Soon
4. Ravens Calling
5. Eiskalt
6. Nothing
7. Before I Die
8. Falsche Tränen
9. Everything
10. My Love Within
11. Die letzte Schlacht
12. Save Me

Line-Up:
Felix Stass – vocais
Rolf Munkes – guitarras
Tosse Basler - guitarras
Harald Heine – baixo
Markus Jüllich – bateria
Katrin Jüllich – teclados

Sem comentários: