quarta-feira, 20 de julho de 2016

Entrevista: Bailout

Bailout… é um novo nome do metal finlandês com a particularidade de usarem um trompete numa sonoridade rica, diversificada e, verdadeiramente, inovadora. Sempre foi essa a intenção (conseguida acrescentamos nós), pelo menos nas palavras de Teemu Uimonen, guitarrista que nos guiou nesta viagem conversada pelo quinteto de Kotka.

Olá Teemu! Muito obrigado pelo teu tempo. Quem são os Bailout? Podes apresentar a banda aos rockers portugueses?
Olá a todos! Somos uma banda da Finlândia e tocamos melódico e groovy heavyrock temperado com trompete.

O que vos motivou a erguer esta banda? Quais são as vossas suas principais influências?
Conheci Simo e Joel durante o nosso serviço militar, na banda e pensei que eram pessoas porreiras! Fiz algumas jams com Simo e os nossos estilos musicais combinavam muito bem juntos. Após o serviço militar era óbvio que eu e Simo tínhamos que formar uma banda. A banda. E fizemo-lo. Queria reformular a música rock e trazer algo totalmente novo para a cena. Eu com o meu metal e fusion (Pantera, Megadeth, Guthrie Govan etc.) misturado com o rock dos anos 80 e country de Simo (todos os tipos de air metal, AOR dos anos 80, Brad Paisley e Dixie Chicks etc.) tudo fundido para algo novo. O som de Bailout estava quase formado. Naquela altura fizemos uma série de canções que rebentaram mas não tínhamos um vocalista. Joel cantou no exército com a nossa banda de entretenimento e também tocava trompete, por isso, soube imediatamente que ele era o homem certo. Sabíamos que o trompete poderia funcionar muito bem em contexto de rock e trazer mais vantagem para as nossas músicas. Ele juntou-se à banda de bom grado uma vez que realmente gostou das nossas músicas. E ele encaixou como a peça que faltava no puzzle. As suas influências variavam desde o metal até ao jazz suave (Metallica, Muse, Miles Davis etc.), pelo que foi uma grande adição. Sabíamos que o nosso velho amigo Stavros poderia reproduzir praticamente qualquer instrumento, por isso, pedimos-lhe para tocar baixo. Aceitou. As suas influências são um pouco mistério para todos nós, mas temos visto que balança entre Juice Leskinen, Black Sabbath e Viljo Vesterinen. Mas na realidade, nós não sabemos o que ele ouve. Finalmente, pedimos ao nosso talentoso amigo, influenciado pelo metal, Antti "Raging" Rantavuo para trazer uma batida energética e confiável. Ele juntou-se à banda e aqui estamos a balançar os nossos mundos. E esperemos que os vossos também!

Já tinham tido experiências em bandas deste género?
Todos nós tínhamos estado em bandas antes, mas nada como isto.

… As The Wind Blows On  é, assim, a vossa estreia. Totalmente satisfeitos com o resultado final?
Sim, estamos satisfeitos. Claro que existem algumas coisas que teríamos feito talvez um pouco diferente hoje, e ainda melhor, mas acho que vai sempre assim.

Como descreverias este lançamento?
É um pacote de rock fresco com a alternância de atmosferas e sons. Testem por vocês próprios!

Quanto tempo trabalharam neste álbum?
Fizemos as músicas durante dois anos e o processo de gravação demorou muito tempo (talvez quatro meses?) uma vez que nossos horários muitas vezes não coincidiam. A masterização e o lançamento foram processos lentos e um pouco frustrantes, mas foram feitos. Foi um grande alívio ter o álbum cá fora!

Importas-te de falar um pouco sobre a experiência da gravação?
O nosso engenheiro de gravação Teemu Aalto da Teemu Aalto Productions (Insomnium, Omnium Gatherum...) foi muito profissional, qualificado e foi extremamente agradável trabalhar com ele. O processo foi longo, como mencionei, mas sempre que trabalhávamos com Teemu Aalto as coisas funcionavam e fluíam de forma muito suave e natural.

E a partir de agora… o que achas que é possível atingir com os Bailout?
Domínio do mundo! Bem, talvez um dia. Mas atualmente estamos a trabalhar no nosso próximo álbum e estamos muito animados com o novo material! Energia explosiva, melodias épicas, sons distorcidos desagradáveis ​​e atmosferas groovy estão a chegar... O nosso objetivo é fazer cada vez melhor música e atingir mais público público.

Obrigado Teemu, queres acrescentar mais alguma coisa?
Muito obrigado pela entrevista! Visitem-nos no Facebook ou Youtube (bailoutrockband) e esperamos vê-los em breve! Rock on!

Sem comentários: