sexta-feira, 8 de julho de 2016

Entrevista: Celestial Ruin

Nós por cá temos um CR no futebol. Os canadianos têm um CD na música: Celestial Ruin. Certamente ainda longe dos grandes palcos europeus mas com um enorme potencial para crescer. Critério e rigor não faltam a este coletivo que pretende espalhar o metal de caraterísticas europeias no lado de lá do Atlântico. E o objetivo começa paulatinamente a ser conseguido. Primeiro com The Awakening, agora com Pandora. Larissa Dawn, a fantástica vocalista do coletivo conta-nos tudo.

Olá Larissa, obrigado por este momento. Podes apresentar a banda aos metalheads portugueses?
É claro! Celestial Ruin é uma banda de hard rock/metal sinfónico de Vancouver, Canadá. A nossa música tem uma sonoridade Europeia misturada com uma forte áurea norte-americana. Orgulhamo-nos de fazer o melhor rock pesado possível sempre a crescer e a evoluir como artistas.

O vosso último álbum, The Awakening, já foi lançado há quatro anos. O que têm feito durante este período de tempo?
Passamos a maior parte desse tempo a levar a nossa música a todo o Canadá. Também dedicamos muito do nosso tempo a escrever e preparar o novo álbum Pandora. Estamos todos focados em tentar fazer a melhor música possível. Se isso leva um ou dois anos entre os álbuns que assim seja. Queremos que as canções sejam incríveis e que causem impacto.

Há algumas diferenças para o vosso álbum anterior?
Muitas. Crescemos como artistas e músicos. Queríamos garantir que o novo EP tinha tudo o que pretendíamos. Quando lançamos o primeiro álbum, foi um pouco à pressa porque estávamos muito animados para colocar o nosso som cá fora. Com Pandora, precisávamos ter a certeza de que tínhamos o melhor de tudo. Som, escrita, produção, teclas. Pressionamo-nos para colocar cá fora o melhor álbum possível.

Os Celestial Ruin são, como vimos, do Canadá, mas o vosso som é frequentemente descrito como europeu. Como surge essa influência?
Gostamos de ter essa referência. Esse género é um nicho aqui na América do Norte. Assim, poder ser das primeiras bandas a abrir caminho para o metal sinfónico norte-americano é muito excitante para nós. Gostamos de estar a criar um mercado para este som aqui.

Ainda assim, quais são as vossas principais influências? São principalmente europeias?
Cada membro da banda tem as suas próprias influências pessoais. Mike (baixo) adora Motley Crue, eu gosto de Nightwish, Kamelot e In This Moment. Adam (bateria) está numa onde Dream Theater, Kamelot, Devin Townsend, Delain. Todos nós contribuímos de forma igual para o processo de escrita, por isso as nossas influências são obrigadas a mostrar-se através do nosso trabalho. As letras em Pandora e as melodias vocais, são uma combinação de muitas coisas, mas vem principalmente do meu estado emocional. Que acaba por ser o que mais influencia o som.

Por que razão tomaram a opção de lançar um EP de seis temas?
Precisávamos testar as águas, por assim dizer. Este foi o primeiro álbum em que trabalhamos com Joost Van Den Broek (Epica, Xandria, Revamp) e Ruben Wijga (Revamp, Epica). Queríamos ter certeza de que a música era bem recebida. Ter os fãs a querer mais e a desejar que haja mais música. Felizmente, foi o que aconteceu com Pandora, estão sempre a pedir-nos mais música. O próximo álbum será com certeza um longa-duração. É só o tempo para escrever música sólida, bem como ter o apoio financeiro para lançar um produto com o qual a nossa banda se sinta feliz. Somos perfecionistas (risos). Portanto, levaremos o tempo que for necessário para termos grandes músicas.

Tivemos conhecimento que o vosso guitarrista deixou a banda recentemente. O que aconteceu?
Eriz ainda vai continuar connosco a tocar em espetáculos locais até encontramos um substituto permanente. A banda tem muitos planos para tournées para o futuro próximo e Eriz simplesmente não quer continuar a viajar ou a andar em tournée. Um grande objetivo nosso é ir à Europa e aos EUA, e precisamos de membros que compartilhem o mesmo desejo e objetivos. Eriz é incrível, super talentoso! Ele ainda é parte da família CR e sempre será. Desejamos-lhe os maiores sucessos e ele sente o mesmo por nós.

Pelo que percebi da tua resposta ainda não tem um substituto…
Já recebemos várias candidaturas surpreendentes. Vamos com tempo e estamos a realizar audições para garantir que a pessoa escolhida é a pessoas adequada aos CR. Somos uma família e a personalidade é tão, se não mais importante para nós do que a experiência. Eles precisam encaixar-se com a equipa já estabelecida e ter a mesma unidade e paixão para o sucesso como nós. Encontrar a pessoa certa pode levar tempo, mas sabemos que quem escolhermos vai fazer os fãs orgulhosos.

E o que se segue para os Celestial Ruin?
Estamos atualmente a planear uma tour completa. Estamos super animados por voltar para a estrada novamente. Começamos a escrever o novo álbum e estamos ainda, obviamente, no processo de audição para um novo guitarrista.

Muito obrigado Larissa! Queres acrescentar mais alguma coisa?
Com certeza! Procurem a nossa música em www.celestialruin.com e vão ao nosso facebook em www.facebook.com/celestialruincanada e façam Likes. Mostrem o vosso apoio à banda, compartilhando a nossa página com as pessoas que acham que possam gostar da nossa música. Obrigado a todos pelo apoio contínuo!!

Sem comentários: