quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Entrevista: Booze Abuser

Praticantes de um denominado alcoholic thash/punk, os Booze Abuser apresentam o seu primeiro álbum adequadamente intitulado Noise For The Drunk. Como a banda afirma, bebemos Punk, respiramos Thrash e ouvimos Álcool. Tão simples quanto isso!

Olá pessoal, tudo bem? Ai está a estreia para os Booze Abuser… Como foi a sua gestação?
Boas pessoal, tudo sempre bem connosco, esperamos que com vocês também. Desde já queremos agradecer a nossa primeira entrevista ser na Via Nocturna. Ora então, a gestação, (risos), foi mais longa que a de uma burra! Após 2 anos e meio de ensaios, a roçar os três, finalmente temos algo nosso cá fora. Basicamente, Booze Abuser surgiu como ideia desde os tempos da escola, mas foi já na vida laboral que surgiu como banda, começando com o Moisés e com o Rui. Na procura de baixista e baterista, focamo-nos mais em trazer pessoal com base na sua personalidade ao invés da técnica. Somos e seremos sempre público, amantes de Metal a tocar Metal, e fazemos o que fazemos, bem ou mal, na atitude, na raça e no gosto por esta vida.

O título é sugestivo: Noise For The Drunk. A vossa ligação ao álcool é muito forte. Aliás o vosso estilo está mesmo designado por alcoholic thash/punk. Neste novo álbum a quem pertence a maior percentagem: ao thrash, ao punk ou ao… álcool? (risos).
(Risos) Pergunta difícil! Uma mistura bem regada dos três: bebemos Punk, respiramos Thrash e ouvimos Álcool!

E o processo de gravação foi fácil?
Estávamos todos desempregados ou a passar mal economicamente e felizmente estivemos rodeados de pessoal que sabe e nos ajudou muito. Obrigado Nuno e Tiago, principalmente! Estando muito, muito longe de sermos considerados músicos, houve partes difíceis, nomeadamente a gravação de guitarra coordenada com a bateria e vice-versa! Amadorismo mas muita diversão, afinal é para isso que cá estamos.

Assim, como descreveriam Noise For The Drunk?
Noise for the Drunk é simples e exatamente ao que se refere, barulho de bêbados para bêbados! A ideia para o nome veio duma vez nas Caldas da Rainha, numa conversa entre dois intelectuais do Black Metal que às tantas comentaram no alto da sua inteligência: “…porque o Thrash Metal é só barulho para bêbados”. A melhor descrição de sempre e um muito obrigado pela ideia aos verdadeiros autores.

Quem estiver interessado em adquirir o álbum, como o pode fazer?
É simples, podem contactar com o Nelson da Dog City Records ou com a banda através do Facebook, ou principalmente aparecer nos concertos!

E a partir de agora, como estamos de estrada?
Andamos a lutar por isso! Este ano estabelecemos de meta dar 10 concertos e ao que tudo indica vamos conseguir! Algum bar ou promotor por essa estrada fora que esteja interessado, pode igualmente falar connosco através do Facebook. Por nós, queremos é fazer “Noise”.

Muito obrigado! Querem acrescentar mais alguma coisa?
Obrigado mais uma vez por esta estreia em entrevistas e que tudo continue a correr bem com vocês. Bebam uma à nossa saúde, que nós estamos a fazer o mesmo por vocês agora! Abraços e muito obrigado!

Sem comentários: