segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Entrevista: Avi Rosenfeld


Influenciado pelo hard rock clássico de nomes como Deep Purple, Uriah Heep, Rainbow e afins, Avi Rosenfeld tem vindo a desenvolver o seu trabalho de criação musical tendo já atingido o álbum número 27. Particularmente dentro do projeto Very Heepy Very Purple, projeto de caráter mundial, esta é já a quinta parte. E foi com este álbum como base que fomos conversar com o criativo músico israelita.  

Olá Avi, como estás? Obrigado pela tua disponibilidade! Este novo álbum já é o teu 27º!!! Olhando para trás, como analisas a tua carreira?
Olá Pedro, é muito bom falar contigo! Estou honrado que gostes da minha música em Portugal. Sim, tenho muito álbuns que consistem em diferentes estilos de música que gosto, mas todos baseados no Classic Rock. Há mais álbuns no forno!

Recentemente embarcaste nessa viagem intitulada Very Heepy Very Purple e esta é já a parte V da ideia. Uma forma de prestar homenagem aos teus heróis Uriah Heep e Deep Purple?
Essas são as minhas bandas favoritas de sempre. Até agora, quando ouço um álbum clássico de Deep Purple, Uriah Heep, Dio, Rainbow... Faz-me sentir bem. Sabes que esta é a melhor música jamais escrita. Portanto, de forma natural, fui influenciado por este estilo de música e também quis fazer álbuns assim. Esta é a minha homenagem às melhores bandas de sempre.

Para este álbum, contas com a colaboração de músicos de todo o mundo. Como entraste em contato com tanta gente?
A criação musical hoje está mais acessível do que nunca. Podes entrar em contato com grandes músicos de todo o mundo, usando a web. Há tantas plataformas como sites de colaboração musical impressionantes como o Kompoz. E ainda tens o YouTube, Facebook... As possibilidades de colaboração são ilimitadas.

E são todos grandes músicos, mesmo que alguns deles não sejam muito conhecidos. Deste-lhes instruções precisas sobre o que eles teriam de fazer ou não?
Tenho sempre na minha mente uma imagem sobre o som geral de uma canção, mas as diretrizes para os músicos não são rígidas. Às vezes, os músicos tocam uma parte que eu não esperava de todo e é uma grande surpresa. Exceto para as melodias vocais e letras, essas são geralmente rigorosas.

No processo de gravação chegaram a juntar-se para trabalhar juntos ou não?
Este é um projeto mundial, por isso é muito mais fácil para os participantes se cada um gravar no seu próprio estúdio. Esta é uma a abordagem bastante original de criar música juntos.

Tens, ou já tiveste, algum músico Português neste projeto?
Ainda não, mas todos os músicos são muito bem-vindos. Estou sempre atento a músicos que desejem colaborar na criação de novas músicas.

Já referimos que nesta parte V são evidentes as influências do hard rock clássico de bandas como Deep Purple, mas também há influências orientais e influências do jazz/fusão. O resultado é uma coleção muito rica de canções... Como fazes para juntar todas essas influências e misturá-las no processo de escrita?
Gosto de ouvir diferentes estilos de música, e, eventualmente, esses estilos surgem na minha música e misturam-se com outros estilos. Às vezes desafio-me a escrever uma canção num estilo específico. Pode começar numa jam, numa piada engraçada ou mesmo numa canção séria.

Consegues tocar como o Ritchie Blackmore? É um título engraçado para uma canção... Como surgiu?
Ritchie Blackmore é a razão pela qual eu quis tocar guitarra. O seu som, riffs e melodias criaram as minhas canções e álbuns favoritos de sempre. Como Ian Anderson disse sobre ele "Ritchie não só sabe quando tocar uma nota, como também sabe quando não tocá-la". Pega em qualquer canção de Ritchie, mesmo as mais fracas - haverá sempre uma guitarra fixe nela. Esta canção é uma homenagem a Ritchie, mas não só, é uma homenagem a toda a família Deep Purple.

Tens um line-up estável para saíres em tournée? Quais são os próximos passos para este projeto?
Acho que será possível um dia. Atualmente estou a escrever e a gravar novas músicas. Um novo álbum de Very Heepy Very Purple está em andamento e também outros álbuns de rock clássico, misturado com outros estilos musicais.

Muito obrigado Avi! Queres acrescentar mais alguma coisa?
Obrigado Pedro! Quero agradecer a todos os que ouvem a minha música. Todos os meus álbuns estão disponíveis para download gratuito no meu site. Espalhem a palavra! Rock On!

Sem comentários: