sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Entrevista: Silverbobes


Os Silverbones, banda italiana, não o escondem – os Running Wild são a sua grande inspiração. Por isso, quem gosta de aventuras de mar e pirataria tem em Wild Waves uma boa proposta. Andrea Franceschi, baixista, apresenta-nos a banda e fala-nos desta sua estreia promissora.

Viva, Andrea! Obrigado pela disponibilidade. Podes apresentar os Silverbones aos metaleiros portugueses?
Olá, é um prazer estar aqui. Silverbones é uma banda de Heavy Metal que tem a sua base no norte da Itália. Tocamos speed/old school metal como nos anos 80/90 e, como os nossos mentores Running Wild, os nossos temas abordam principalmente aventuras do mar e piratas. Se procuram uma banda jovem e enérgica, com uma boa presença em palco, atitude rock ‘n’ roll, com um som contínuo e bombeado, não vão ficar desapontados ao ouvir o que tem a dizer os Silverbones.

O que vos motivou a criar esta banda?
Foi essencialmente a necessidade do meu ego brilhar e o amor pelo Heavy Metal que me motivou a começar com Silverbones. Naquela altura tocava clássicos do Rock e Metal noutras bandas mas senti que era o momento certo para iniciar um novo e pessoal projeto no qual me pudesse expressar e, eventualmente, sentir-me muito orgulhoso. Isso foi em 2013 e até agora os Silverbones têm valido os meus esforços.

Quais são as vossas principais influências?
Como já disse, temos toneladas de inspiração dos Running Wild. Todo o projeto foi concebido para contribuir para a idade de ouro da sua carreira com canções pessoais e atuais. Grave Digger e Judas Priest também nos influenciaram porque depois de 30 anos, ainda tocam metal fiel às suas raízes e marcaram a história com autênticas obras-primas. É este o tipo de música que me faz sentir positivo e vivo.

Depois de uma demo, Wild Waves é o vosso primeiro longa duração. Como o descreverias?
Sim, é, e para mim Wild Waves representa um bom trampolim para a banda. As guitarras cortantes e a secção rítmica sólida levar-te-ão numa viagem através do mar do nosso amado metal old school. Todo o álbum soa autêntico e é rico em melodias, riffs cativantes e galopantes, refrães épicos e fáceis de cantar. Se se sentem um pouco nostálgicos a respeito dos trabalhos dos Running Wild, como Port Royal ou Blazon Stone, Wild Waves é o álbum pirata que esperavam. Dêem uma audição aqui: http://silverbones.bandcamp.com/album/wild-waves.

O vosso baterista atual não é o mesmo que gravou o álbum. O que aconteceu?
Não, de facto, não é o mesmo. Todos nós gravamos Wild Waves, com exceção de Enrico, no nosso estúdio caseiro. Não tínhamos muita experiência em gravações mas aceitamos o desafio e fizemos o nosso primeiro trabalho sério. Entretanto, Enrico juntou-se à banda, mas para isso era necessário ir para um estúdio profissional para gravar o seu instrumento, mas isso teria levado muito mais tempo. Então, em vez disso, tomamos a decisão de ter Cederick Forsberg dos suecos Rocka Rollas atrás da bateria do nosso álbum. Ced é um produtor de estúdio muito competente, trabalha rápido e, como podem ouvir, também é um baterista fantástico. Pessoalmente, adoro a forma como soa a bateria em Wild Waves. Enrico vai provar, com certeza, as suas capacidades na próxima produção.

Durante quanto tempo trabalharam neste álbum?
Desde o momento em que começamos a gravar o primeiro take de baixo, trabalhamos nele mais de um ano, levando o tempo necessário para fazer as coisas de uma maneira adequada. Todos nós trabalhamos ou estudados o que faz baixar um pouco o ritmo. Nos primeiros meses de 2016 estava apto para enviar as faixas para Ced e, enquanto ele trabalhou na mistura, eu terminei o artwork e todo o material gráfico do álbum.

Quais são os próximos passos para os SilverBones? Em que estão a trabalhar atualmente?
Os Silverbones estão à procura de uma boa agência de booking para poder levar o nosso espetáculo pela Itália e, porque não, também fora do nosso país. Depois, será o próximo longa duração: há novas músicas em desenvolvimento, desta vez, com a colaboração de Ricardo, Marco e Enrico. Dar-te-emos mais informações em breve.

Muito obrigado, Andrea! Queres acrescentar mais alguma coisa?
Obrigado a ti pela boa review. Para quem possa perguntar onde comprar o nosso álbum Wild Waves, vou deixar estes links:
http://www.cdbaby.com/cd/silverbones (para o formato físico)
http://silverbones.bandcamp.com/album/wild-waves (para o formato digital)

Sem comentários: