quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Entrevista: Old Yellow Jack

Depois de Magnus vem Cut Corners. Os Old Yellow Jack permanecem ativos mas soam diferentes. Filipe Collaço falou-nos desta nova faceta apresentada e até ficamos a saber da qualidade dos croissants da D. Paula!

Olá pessoal! Como tem sido a existência dos Old Yellow Jack desde a última vez que conversámos?
Oi! A vida dos Old Yellow Jack enquanto banda não mudou muito, continuamos a andar por aí fora a tocar, sempre a compor coisas novas e a pensar em discos futuros.

Depois de Magnus, Cut Corners aparece com uma sonoridade ligeiramente diferente. Faz parte de um processo de crescimento e amadurecimento?
Acredito que esse crescimento e amadurecimento estão presentes, mas não necessariamente de uma forma consciente. Enquanto que em Magnus experimentámos muita coisa, em Cut Corners estamos mais focados num som.

Mas voltaram a gravar nos Black Sheep Studios, não foi? Como foi a experiência desta vez?
A experiência foi bastante diferente, pelo facto de termos gravado com um produtor diferente (Guilherme Gonçalves) e também porque houve um espaçamento grande entre a gravação de instrumentais e vozes.

Esta coleção de canções é, portanto, toda posterior a Magnus ou não?
Sim, todas as canções foram compostas depois do Magnus, e acho que se nota.

Acho curioso a vossa tendência para os trocadilhos de palavras (Ten Tons, Jingle Jangle, Sailors Cellars Sellers)… de onde vem essa tendência?
Não tínhamos pensado nisso! Normalmente são só nomes que nos ficaram na cabeça e que associámos às músicas. No caso da Sailors, o Guilherme não sabe que palavra diz no refrão, e essas três palavras são três hipóteses.

Desde a edição de Magnus que têm tido a oportunidade de tocar em diversos palcos e festivais. De que forma essa experiência entretanto ganha se repercute neste novo trabalho?
Acho que serviu sobretudo para pensarmos o nosso espectáculo ao vivo de uma maneira mais “a sério”. Para esta digressão, andamos a tocar com um percussionista.

Entretanto, até dezembro andarão a percorrer o país. O que já foi feito e o que ainda têm para andar?
Já andámos pelo NOS em D’bandada, Musicbox Lisboa e Braga Music Week. Vamos ainda passar pelo Titanic Sur Mer em Lisboa, CAE Portalegre, Plano B Porto entre outras não anunciadas.

Têm algum vídeo extraído deste conjunto de temas?
Temos dois vídeos, para a Ten Tons e para a Glimmer. O da Ten Tons é muito engraçado.

Mais uma vez obrigado! Querem acrescentar mais alguma coisa?
Os croissants da dona Paula são fantabulásticos.

Sem comentários: