terça-feira, 29 de novembro de 2016

Review: The Stage (Avenged Sevenfold)

The Stage (Avenged Sevenfold)
(2016, Capitol Records/Universal Music)
(6.0/6)

O trajeto em crescendo dos Avenged Sevenfold previa que algum dia isto tinha que acontecer: um disco como The Stage que é verdadeiramente sensacional e que coloca os americanos no topo do que de melhor se faz no metal contemporâneo. O quinteto tem mais ideias numa música só que muitos grupos em todo um álbum e isso fica demonstrado num The Stage que mostra um coletivo altamente inspirado, para além de imensamente talentoso, como já se sabia, que arrisca e inova em todos os momentos. E que em tudo o que fazem se pautam por uma altíssima qualidade. Desde o grunge de Seattle atualizado e revisto em Creating God à thrashalada à Metallica de God Damn (que delicia aquelas quebras e aquele final melódico em registo acústico!); desde o prog thrash dark, complexo, pesadão e opressivo (incluído vocais muito agressivos) de Paradigm ao avantgard que leva à inclusão de metais de Sunny.Disposition; do experimental e teatral Simulation à balada de forte componente sinfónica em Roman Sky, tudo isso é simplesmente magnífico. Uma banda camaleónica variando sistematicamente o seu registo não só de tema para tema, como também dentro da mesma canção. E nesse aspeto, o épico final de mais de 15 minutos, Exist, é o exemplo como órgãos space rock, solos shred, riffs thrash, guitarras acústicas prog rock, violinos symphonic rock e blastbeats death metal se fundem, se envolvem e se desenvolvem passo a passo até à apoteose final. Depois há também a forma como os Avenged Sevenfold cruzam fases de metal muito pesado com melodias quase singelas. Ora isso acontece em temas como Paradigm e Fermi Paradox e, principalmente, neste é paradoxal mas espetacular a forma como belíssimas melodias são construídas sobre bases rítmicas devastadoras, por vezes a roçar o death metal. E é tudo isso que faz de The Stage um álbum impressionante de classe, trabalho e talento. E ainda não falamos nos 8 minutos e pico do tema título de abertura. Porque, para esse simplesmente não há palavras! Incrível! Espetacular! Depois disto, meus amigos, onde poderão chegar estes californianos?

Tracklist:
1.      The Stage
2.      Paradigm
3.      Sunny.Disposition
4.      God Damn
5.      Creating God
6.      Angels
7.      Simulation
8.      Higher
9.      Roman Sky
10.  Fermi Paradox
11.  Exist

Line-Up:
M. Shadows – vocais
Zacky Vengeance – guitarra ritmo
Synyster Gates – guitarra solo
Johnny Christ – baixo
Brooks Wackerman - bateria

Internet:
Website   
Facebook   
Youtube   
Twitter   

Edição: Capitol Records/Universal Music    

Sem comentários: