quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Review: Darskapens Monotoni (Kaipa Da Capo)

Darskapens Monotoni (Kaipa Da Capo)
(2016, Foxtrot Records)
(5.4/6)

Em meados dos anos 70 os Kaipa Da Capo eram um dos nomes mais relevantes do cenário prog rock sueco e entre 1974 e 1978 gravaram três álbuns e andaram em tournée de forma regular. Três membros do quarteto original resolveram agora voltar a reunir-se e apresentar um novo álbum juntamente com dois novos elementos. De todos os remanescentes nomes, Roine Stolt deve ser o mais mediático pela sua contribuição nos The Flower Kings e Transatlantic. Quanto a este Darskapens Monotoni, composto pelo primeiro material original em mais de 35 anos, traz-nos um rock a variar entre o clássico e o progressivo de grande sensibilidade melódica e estética. Ao contrário do que é vulgar acontecer no prog, os devaneios individuais ficam um pouco relegados para segundo plano, deixando sobressair a melodia e os arranjos de belo efeito. A capacidade técnica individual também está presente, é verdade, embora mais concentrada nos solos. Em termos globais a sonoridade desta coleção de sete canções traz muitas referências aos anos 70 no som analógico e orgânico, deixando ainda espaço para alguma experimentação (När Jag Var En Pojk), para incursões orientais (Det Tysta Guldet) e até algum mood bluesy (Spär Av Vär Tid). Um bom regresso, que se saúda, num disco elegante e bem conseguido.

Tracklist:
1.      Darskapens Monotoni
2.      När Jag Var En Pojk
3.      Vi Lever Här
4.      Det Tysta Guldet
5.      Spär Av Vär Tid
6.      Tonerna
7.      Monoliten

Line-up:
Ingemar Bergman – bateria e percussões
Tomas Eriksson – baixo
Roine Stolt – guitarras, vocais e teclados
Michael Stolt – vocais, guitarras e teclados
Max Lorentz – hammond, mellotron, moog, sitar

Convidados:
Merit Hemmingsson – vocais em #4
Ludde Lorentz – saxofone em #6
Peter Lindberg – steel guitar em # 3 e #7
Otto Aberg – vocais em # 6

Internet:
Facebook   
Twitter   

Edição: Foxtrot Records    

Sem comentários: